UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 09h45

Receita da espanhola Telefónica cresce 2,4% em 2009

EFE
Madri, 26 fev (EFE).- O grupo de telecomunicações Telefónica informou hoje que ganhou no ano passado 7,776 bilhões de euro (US$ 10,560 bilhões), 2,4% mais que em 2008.

A multinacional indicou que a receita caiu 2,1%, para os 56,731 bilhões de euros (US$ 77,010 bilhões) e o resultado operacional bruto antes de amortizações (OIBDA) desceu 1,4%, para 22,603 bilhões de euros (US$ 30,680 bilhões).

A Telefónica destaca que cumpriu as metas financeiras previstas e ratifica seu objetivo de alcançar um lucro básico por ação de 2,10 euro (US$ 2,85).

A operadora espanhola anunciou que para este ano prevê que sua receita cresça entre 1% e 4%, e o resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) fique entre 1% e 3%.

Na América Latina, o crescimento foi de 3,7% nas receitas em 2009, para 22,983 bilhões de euros (US$ 31,030 bilhões).

O resultado operacional antes das amortizações (OIBDA) na região foi de 9,143 bilhões de euros (US$ 12,340 bilhões), 8,3% mais, com o México, Brasil, Venezuela e Argentina como os países que mais contribuíram ao crescimento.

O número de clientes na região aumentou 6,5%, até os 168,6 milhões, graças ao crescimento nos negócios de telefonia celular e banda larga.

Telefónica destacou que, em um contexto global de deterioração econômico, América Latina teve uma "destacável" estabilidade em 2009, e apresenta perspectivas "de evidente recuperação econômica" para 2010, cujos sintomas já começaram a aparecer no quarto trimestre.

O grupo fechou 2009 com 134,7 milhões de acessos móveis na região, 9,2% a mais que em 2008 e uma penetração superior a 90%.

No fixo, cresceram os clientes de banda larga, 5,9% para os 6,4 milhões, e os de televisão por assinatura, 7%, para os 1,6 milhão; enquanto os de acesso de telefonia fixa recuaram 4,2%, para 24,6 milhões.

No total, Telefónica terminou 2009 com 33,9 milhões de clientes no fixo.

Por países, Brasil alcançou 67 milhões de acessos, 10,2% mais, e fechou o ano com uma receita de 8,376 bilhões de euros (US$ 11,310 bilhões), 0,9% a mais em moeda local.

Em telefonia celular, através da filial brasileira Vivo, a base de clientes alcançou os 51,7 milhões, 15,1% mais.

A multinacional acrescentou que realizará investimentos entre 7,450 bilhões e 7,650 bilhões de euro (US$ 10,120 bilhões e US$ 10,390 bilhões).

Os resultados do grupo foram afetados pela situação econômica da Venezuela e a desvalorização do bolívar, com um impacto negativo de 548 milhões de euros (US$ 745 milhões) no resultado líquido.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host