UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/03/2010 - 19h02

Apple admite trabalho infantil em 3 provedores

EFE
San Francisco, 1 mar (EFE).- A empresa tecnológica Apple, fabricante do iPhone, do iPod e dos computadores Mac, divulgou hoje um relatório no qual reconhece que três de seus provedores empregaram menores de idade em suas fábricas.

O documento, publicado anualmente pela Apple destinado às empresas fornecedoras de componentes, assegura que três dessas companhias contrataram um total de 11 jovens de 15 anos. A legislação de seus respectivos países estabelece a idade mínima de 16 anos para trabalhar.

Todos eles já haviam chegado à idade mínima para trabalhar no momento em que se realizou a auditoria, mas tinham apenas 15 anos quando foram contratados, ressalta a Apple.

Após a descoberta, a Apple exigiu a cada uma das fábricas "desenvolver e implementar sistemas de gestão apropriados para impedir a contratação de menores no futuro", como melhores sistemas para verificar a idade dos funcionários.

Nenhum dos jovens continua trabalhando nas fábricas que os contrataram.

Com a publicação desse relatório, auditado a um total de 102 centros de produção, a Apple busca se antecipar a possíveis críticas.

A empresa americana não deu os nomes das companhias que se incluem nele, mas se sabe que seus auditores visitaram fábricas nos Estados Unidos, República Tcheca, Coreia do Sul, Filipinas, Cingapura, China, Taiwan e Tailândia.

O documento revela também outros sérios incidentes. Os funcionários trabalhavam mais horas do que as devidas em um total de 60 fábricas e 24 provedores, que pagavam salários abaixo do mínimo.

No total, a Apple descobriu 17 tipos de violações de suas normas de responsabilidade social, como documentos falsificados, taxas de contratação excessivas ou incidências no tratamento de resíduos perigosos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host