UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/03/2010 - 13h16

Europa evolui para ter gasoduto que evitará Rússia

EFE
Viena, 5 mar (EFE).- O acordo para a construção do gasoduto Nabucco, que irá da região do mar Cáspio à Europa Ocidental e pretende reduzir a dependência do gás russo, foi assinado por todos os cinco países que participam da iniciativa.

Assim anunciou hoje em comunicado a Sociedade Nabucco, com sede em Viena, e a companhia elétrica alemã RWE. Ontem, a Turquia se tornou a última a assinar, após o terem feito Romênia, Áustria, Hungria e Bulgária.

O acordo prevê transportar até 31 bilhões de metros cúbicos anuais de gás da Turquia para a Europa Ocidental, evitando o território russo.

"Todos os países que assinaram o Acordo Intergovernamental de 13 de julho de 2009 em Ancara ratificaram agora o tratado em seus Parlamentos", assinala a nota.

O acordo estabelece regras estáveis por 50 anos e confirma que 50% da capacidade do gasoduto ficarão reservados para os proprietários, enquanto a outra metade será oferecida a outros distribuidores.

O projeto tem a participação dos consórcios OMV (Áustria), RWE (Alemanha), MOL (Hungria), Botas (Turquia), Bulgarian Energy Holding (Bulgária) e Transgaz (Romênia).

Espera-se que a decisão definitiva sobre o projeto seja tomada no fim do ano, para iniciar a construção em 2011 e concluí-la em 2014.

O gasoduto percorrerá 3.300 quilômetros da cidade de Erzurum (Turquia), onde se conectará com encanamentos de países fornecedores, até um terminal na Áustria. A obra está avaliada em 8 bilhões de euros.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host