UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/03/2010 - 21h15

Deputado americano diz que Espanha está 5 vezes pior que Grécia

EFE
Washington, 17 mar (EFE).- O deputado republicano Mark Steven Kirk aproveitou a presença no Congresso da presidente da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), Mary Schapiro, para criticar a economia espanhola, que disse estar "cinco vezes pior que a da Grécia".

Kirk pediu que Schapiro exija que as empresas americanas tornem públicas as suas relações com as economias de Grécia, Itália, Portugal e Espanha, que chamou pelo acrônimo de Gips.

"Poso ter a sua palavra de que vai avaliar esse tema?", perguntou Kirk a Schapiro, com o argumento do risco representado pelas operações das empresas americanas nesses países. "Absolutamente", respondeu a representante da SEC.

"Podemos estudar isso, certamente. A legislação atual já prevê a obrigação de informar os riscos em seus negócios e operações. Mas podemos fazer a prova com gosto e ver que tipo de informações estão sendo repassadas a respeito da dívida externa (desaes países)", acrescentou Schapiro.

"Eu gostaria de insistir neste tema, porque segundo o meu entendimento, a situação na Espanha é cinco vezes pior que a da Grécia, e nos surpreende saber que algumas instituições financeiras dos EUA não tornaram públicos os empréstimos feitos à Grécia", argumentou o deputado.

O legislador também questionou o impacto que o possível rebaixamento da qualificação da dívida dos quatro países pode ter nas empresas americanas. "Não tenho certeza de estar realmente qualificada para responder a essa pergunta. Acho que poderia haver um impacto muito grande, obviamente", afirmou Schapiro.

Nas últimas semanas, os investidores questionaram a capacidade da Grécia de fazer frente à crise, o que elevou os juros de sua dívida.

Ao mesmo tempo, fez com que os mercados revisassem a situação dos países da zona do euro cuja situação econômica é mais instável, em particular Espanha e Portugal, onde a dívida também aumentou.

Recentemente, o Fundo Monetário Internacional (FMI) se pronunciou sobre a solidez das instituições e a credibilidade da política de Espanha e Portugal, o que faz com que, segundo a entidade, a situação econômica de ambos seja diferente à da Grécia.

Para o FMI, tanto Espanha como Portugal contam com estatísticas econômicas e instituições robustas, tem bons históricos políticos econômicos e credibilidade.

Em contrapartida, a Grécia sofria com um problema orçamentário mesmo antes de chegar à crise.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host