UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 15h38

Machu Picchu reabre amanhã para turismo

EFE
Lima, 31 mar (EFE).- A cidade inca de Machu Picchu reabrirá as portas amanhã para o turismo após dois meses fechada por causa dos graves danos causados pelas chuvas torrenciais nos acessos ao local.

Embora as autoridades peruanas não tenham confirmado, fala-se que a atriz americana Susan Sarandon, contratada para uma campanha de promoção turística do país, estará entre os convidados de gala na cerimônia de amanhã junto ao presidente Alan García.

Sarandon está há vários dias viajando com o filho por cidades como Lima e Cuzco, assim como o Lago Titicaca, como parte de uma campanha do Ministério de Comércio Exterior e Turismo que procura atenuar a drástica queda do número de turistas pelo fechamento de Machu Picchu, principal atração do país.

O ministro de Turismo peruano, Martín Pérez, adiantou recentemente que o fechamento da cidade inca, Patrimônio Cultural da Humanidade desde 1983, pode ter representado nas últimas semanas uma queda de 50% das receitas de turismo em todo o país, mas é cedo para ter os números definitivos.

Só o fechamento de Machu Picchu pode ter custado ao país perdas de aproximadamente US$ 400 milhões relativas ao turismo, segundo projeções do Observatório Turístico do Peru, além de US$ 236 milhões referente aos danos causados à infraestrutura da região.

Em época normal, Machu Picchu é visitada diariamente por 2 mil turistas, número que os responsáveis da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) consideram próximo ao limite máximo desejável. Apesar disso, não existem planos para reduzir esse fluxo de visitantes.

A cidade inca foi fechada após as intensas chuvas do final de janeiro em toda a região, somadas à alta incomum do rio Urubamba, que afetou trechos inteiros da ferrovia que liga Cuzco a Machu Picchu.

Nem toda a ferrovia pôde ser restaurada para a data da reabertura. Os turistas terão que ser levados de ônibus de Cuzco à estação de Piscacucho, onde tomarão o trem que leva até a cidade, e somente mais tarde a linha será reaberta por inteiro.

As chuvas torrenciais de fins de janeiro deixaram ilhados cerca de 4 mil turistas que tiveram que ser evacuados por helicóptero de Machu Picchu. As imagens da evacuação simbolizaram um duro golpe à indústria do turismo, que representa cerca de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Além disso, durante as semanas de fechamento, outro acidente na segunda atração turística do país, as famosas Linhas de Nasca. Um pequeno avião que sobrevoava as linhas caiu com sete pessoas a bordo, que morreram na hora.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host