UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/04/2010 - 11h51

Piñera foca sua 1ª visita ao Brasil no futuro da cooperação entre os países

EFE
Brasília, 8 abr (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve se reunir amanhã com o seu colega chileno Sebastián Piñera, em uma visita que busca reforçar a cooperação entre os países e averiguar o terreno para 2011, quando o país terá um novo Governo.

Piñera chega hoje à noite a São Paulo, vindo de Buenos Aires, para visitar o ex-governador e candidato à presidência pelo PSDB, José Serra. Já amanhã ele deve encontrar em Brasília a também candidata à presidência Dilma Rousseff (PT), ex-ministra e ex-guerrilheira que conta com o apoio pessoal de Lula.

Piñera pode encontrar mais afinidade com Serra, já que o ex-governador, além ideias políticas mais conservadoras, fala espanhol e foi exilado em Santiago nos anos 70, onde conheceu a sua esposa, a chilena Monica Allende.

No entanto, apesar das diferenças ideológicas que pode ter com Lula, o líder da direita chilena manifestou sua "admiração" pelo brasileiro, e declarou que pretende trabalhar "lado a lado" com o presidente até o dia 1 de janeiro de 2011.

A visita de Piñera começou a ser preparada no dia 12 de fevereiro, quando, ainda como presidente eleito, ele recebeu o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim em sua primeira reunião oficial com autoridades estrangeiras desde que ganhou as eleições do dia 17 de janeiro.

Segundo Amorim, esse encontro foi um "símbolo da grande amizade entre o Brasil e o Chile" e serviu para confirmar as "possibilidades de aprofundar" a cooperação entre os países em diversas áreas. Cooperação que passa atualmente pela energia, esporte, ciência, cultura, comunicações e a televisão digital, entre outras áreas, e tem como base um comércio bilateral que no ano passado chegou a cerca de US$ 10 bilhões.

Segundo o governo, o Brasil é o quarto parceiro comercial do Chile, atrás apenas da China, Estados Unidos e Japão.

Na pauta de discussão entre Piñera e Lula estão a ampliação dos investimentos mútuos, com ênfase especial nas empresas brasileiras no Chile. Esse assunto já foi tratado por Lula com a ex-presidente chilena Michelle Bachelet, que chegou a dizer ano passado em São Paulo que é "uma vergonha" que os investimentos chilenos no Brasil superem os US$ 8 bilhões e os brasileiros no Chile não passem dos US$ 2 bilhões.

Desde janeiro, o presidente e Piñera se reuniram em outras duas ocasiões. A primeira na cidade de Cancún (México), durante a Cúpula do Grupo do Rio, à qual Piñera (então presidente eleito) participou como convidado, e a segunda em Santiago, durante uma visita-relâmpago que Lula fez no dia 1 de março para expressar a solidariedade do Brasil pelo terremoto que arrasou parte do Chile no fim de fevereiro.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host