UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/04/2010 - 18h58

Dow Jones fecha em alta de 0,64%

EFE
Nova York, 9 (EFE).- O índice Dow Jones Industrial, de referência em Nova York, fechou hoje em alta de 70,24 pontos (0,64%), aos 10.997,35.

O índice operou hoje acima dos 11 mil pontos pela primeira vez desde setembro de 2008, quando a crise do sistema financeiro começava a provocar reações de pânico em Wall Street.

O seletivo S&P 500 terminou a sessão com alta de 7,94 pontos (0,67%), aos 1.194,37, enquanto que o índice composto do mercado Nasdaq chegou a 17,24 pontos (0,71%) e fechou a 2.454,05.

A Bolsa de Valores encadeou seis semanas seguidas de lucro e nesta última o Dow Jones alcançou alta acumulada de 0,64%, o S&P 500 de 1,38% e o Nasdaq de 2,14%.

A praça nova-iorquina mostrou uma moderada tendência de alta nesta última sessão da semana, como reflexo também da cautela dos investidores perante a onda de resultados que as grandes empresas americanas começarão a divulgar a partir da segunda-feira.

A Alcoa foi nesta sexta-feira o componente do Dow Jones que teve a sessão mais desfavorável, pois suas ações caíram 3,23%, depois que o JP Morgan rebaixou a recomendação sobre seus títulos.

O retrocesso dessa empresa, a maior produtora de alumínio nos Estados Unidos, contrastou com o dia propício das companhias energéticas, que subiram em conjunto 1,14%.

A companhia petrolífera Chevron (2,37%) liderou o grupo majoritário de componentes do Dow que fecharam em positivo, após anunciar que prevê que seu benefício nos três primeiros meses deste ano será superior ao do quarto trimestre de 2009.

A Exxon Mobil, a maior petrolífera nos EUA e que também faz parte do Dow, chegou a 1,33% e junto com a AT&T (1,61%), Coca-Cola, Disney (ambas com alta de 1,54%) e Microsoft (1,4%) formaram o grupo com altas mais substanciais.

Além de Alcoa, outros cinco componentes do Dow fecharam em baixa, embora com perdas moderadas, sendo um pouco mais destacáveis no caso da Wal-Mart (0,56%) e Bank of America (0,32%).

A tendência de alta com a qual Wall Street abriu se afiançou após ser divulgado que as reservas dos atacadistas nos EUA subiram 0,6% em fevereiro, mais do que se previa, por sua vez as vendas nesse tipo de negócio aumentou 0,8%.

O avanço do setor energético contrastou com a tendência de baixa que predominou no mercado do petróleo, onde o barril de Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) encadeou três dias seguidos de perdas e fechou a US$ 84,92, US$ 0,47 menos que na quinta-feira.

A moeda americana caiu frente ao euro, e pela moeda europeia se pagava US$ 1,3495 no fechamento da Bolsa, comparado com o US$ 1,3349 do dia anterior.

Os investidores continuam atentos à situação financeira na Grécia e aos mecanismos de ajuda que seus parceiros europeus estudam, assim como a avaliação de sua dívida por parte das agências de qualificação.

A Fitch rebaixou hoje a atribução que dá à dívida desse país a longo prazo e a levou para "BBB-", com uma perspectiva negativa.

A dívida pública americana a dez anos subia de preço e oferecia uma rentabilidade de 3,88%.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host