UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/04/2010 - 18h07

Grécia assegura que não pediu para ativar mecanismo europeu de ajudas

EFE
Atenas, 9 abr (EFE).- O Governo da Grécia afirmou hoje em Atenas que não solicitou ativar o mecanismo de ajuda europeu para superar seu grave crise econômica.

Segundo um comunicado emitido na noite de hoje pelo gabinete do primeiro-ministro grego, Yorgos Papandreu, este fez hoje contato por telefone com vários líderes europeus e em nenhum momento pediu para ativar o mecanismo de ajuda comunitária para a Grécia.

A nota assegura que o primeiro-ministro falou com o presidente do Conselho Europeu, Herman van Rumpuy, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, o presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet e com o chefe da zona do euro, Jean-Claude Juncker.

"Com estes tratou sobre a avaliação da situação da Europa em relação com a economia e intercambiaram opiniões sobre as ações da UE em relação com os mercados", diz o comunicado.

"Cabe notar que nem abordou nem se pediu para ativar "o mecanismo" (de ajudas financeiras europeias)", destaca a nota.

O comunicado do escritório de Papandreu foi emitido horas após rumores sobre um suposto acordo alcançado entre os ministros de Finanças da UE e altos funcionários bancários sobre os termos de crédito à Grécia por parte da UE e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A Bolsa de Valores de Atenas fechou hoje com uma alta de 3,4% após três dias consecutivos de fortes perdas.

Enquanto isso, o diferencial do bônus grego de 10 anos em relação ao alemão caiu abaixo dos 400 pontos básicos após superar na quinta-feira as 450 unidades, com taxas de juros superiores a 7%.

O mercado esteve à espera de uma decisão da Grécia sobre se recorre ou não à ajuda externa para superar a crise, utilizando a rede de proteção decidida pela UE em março, com a colaboração do FMI.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host