UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/04/2010 - 16h06

Cameron se compromete a divulgar oposição a usina de Belo Monte

EFE
Brasília, 12 abr (EFE).- O cineasta James Cameron ("Avatar") se comprometeu hoje a "divulgar no mundo" a rejeição de indígenas e agricultores à construção da usina hidroelétrica de Belo Monte, no Pará.

"Sou cineasta, não sou político, nem cientista, mas acredito nesta causa e é preciso dizer ao mundo que há outros modelos de progresso e desenvolvimento", disse Cameron diante de centenas de ativistas que protestaram hoje em Brasília contra o projeto da usina.

O cineasta explicou que, durante as duas semanas em que está no Brasil, onde participou de reuniões sobre meio ambiente e divulgou a versão em DVD de "Avatar", ouviu "dezenas de pessoas falarem contra esse projeto, pelas consequências que terá para o meio ambiente e para os povos amazônicos".

"Escutei também os índios, ouvi sua rejeição e os motivos de sua luta, e não posso resistir a unir minha voz a este grito de resistência", afirmou, em meio a bandeiras vermelhas e brancas e aos aplausos dos ativistas.

Dois dos protagonistas de "Avatar", Sigourney Weaver e Joel David Moore, também estiveram com Cameron.

A usina hidroelétrica de Belo Monte será construída no rio Xingu e poderá gerar 11.233 megawatts, sendo assim a terceira maior do mundo, atrás da de Três Gargantas, na China, e da de Itaipu, compartilhada por Brasil e Paraguai.

Sua construção prevê a inundação de uma área de 506 quilômetros quadrados. Segundo os movimentos sociais, serão deslocados mais de 50 mil indígenas e camponeses, enquanto outras dezenas de milhares sofrerão o impacto ambiental do projeto, que deve ser erguido no município paraense de Altamira.

O Ministério Público Federal (MPF) no Pará entrou com duas ações para tentar suspender a licitação da usina, marcada para o próximo dia 20, por incompatibilidades com as leis ambientais e a Constituição.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host