UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/04/2010 - 16h50

Primeiro trimestre bate recordes na geração de empregos formais

EFE
Rio de Janeiro, 15 abr (EFE).- No primeiro trimestre deste ano o Brasil gerou um número de empregos recorde - 657.259 novas contratações formais -, com o que já alcançou mais de 30% de sua meta de criar dois milhões de postos de trabalho em 2010, informou hoje o Ministério do Trabalho.

O forte crescimento da geração de empregos formais até março contrastou com o resultado do primeiro trimestre do ano passado, quando as demissões superaram as contratações em 57.751 postos como consequência da crise econômica global.

O número de empregos formais gerado nos três primeiros meses deste ano, além disso, superou em 19% os do mesmo período de 2008, que era até agora o maior na história do país.

O desempenho de março foi o maior para esse mês desde que o indicador começou a ser medido, em 1992. A criação de postos de trabalho também foi recorde para os meses de janeiro e fevereiro.

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou que em abril possivelmente será atingido outro número recorde, com a geração de 340 mil novos postos.

"Vamos viver o melhor abril, provavelmente o melhor semestre e o melhor ano na geração de empregos na história do Brasil", afirmou Lupi, para quem a criação de postos este ano provavelmente superará os dois milhões que o Governo impôs como meta.

O ministro assegurou que o aumento foi possível a recuperação principalmente da indústria após a ligeira contração sofrida pela economia brasileira em 2009.

Enquanto o Executivo prevê que o Brasil fechará este ano com um crescimento econômico perto dos 5,8%, alguns bancos estrangeiros já prevêem uma expansão de até 7%.

Os números do Ministério do Trabalho se referem exclusivamente aos empregos formais (com contrato e garantias trabalhistas), por isso não podem ser considerados como indicadores do desemprego, que em fevereiro era de 7,4% da população ativa, um pouco acima dos 7,2% medidos em janeiro.

O próprio Ministério reconhece que vários dos novos empregos formais se referem a trabalhadores cujos contratos foram regularizados.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host