UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/04/2010 - 17h20

Amorim quer que mais países busquem solução para polêmica nuclear iraniana

EFE
Teerã, 27 abr (EFE).- O ministro das Relações Exteriores Celso Amorim se mostrou hoje partidário de que outros países participem da busca por uma solução para a polêmica gerada pelo programa nuclear iraniano.

Em um encontro com a imprensa em Teerã, o chanceler lembrou que o Brasil aposta por mudanças no Conselho de Segurança das Nações Unidas, mas assegurou que não é um assunto que tenha tratado com responsáveis iranianos.

"Não tive uma discussão recente com as autoridades iranianas a respeito, mas a postura é que o Conselho de Segurança deve ser reformado", afirmou.

"Por que um país europeu pode entender melhor o Irã que a Turquia? Parece que sempre o Ocidente resolve estes problemas. Aceitamos Rússia e China porque são membros permanentes (do Conselho de Segurança) e têm direito de veto, mas fora eles, nenhum outro (está participando das negociações em busca de uma solução). Não acho que isto seja bom", acrescentou.

Amorim ressaltou que a conjuntura econômica mudou e isso fez com que emergissem outros atores com voz própria na comunidade internacional.

Além disso, defendeu que o assunto nuclear seja abordado também pelos outros dez membros não-permanentes do conselho, entre eles Turquia e Brasil.

Já o ministro de Assuntos Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, expressou hoje sua confiança em alcançar um acordo com a comunidade internacional sobre a troca de combustível nuclear, que a princípio poderia evitar as sanções impulsionadas pelos Estados Unidos e por outras grandes potências.

"Esperamos que o processo de troca de combustível nuclear se inicie em um futuro próximo", afirmou Mottaki, durante uma entrevista coletiva junto com Amorim.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host