UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/04/2010 - 20h54

São Paulo é a cidade mais atrativa para investir na A.Latina

EFE
Bogotá, 28 abr (EFE).- São Paulo é a metrópole mais atrativa para fazer investimentos na América Latina, a frente do Rio de Janeiro e Brasília, revelou hoje o estudo "Índice de Atratividade de Investimentos Urbanos" (Inai), apresentado à Agência Efe na capital da Colômbia.

O Inai foi elaborado pelo Centro de Pensamento em Estratégias Competitivas (Cepec) da Universidade do Rosário, da Colômbia, e a Empresa de Inteligência de Negócios, do Chile.

Segundo esse ranking, São Paulo é "a metrópole mais atrativa" na América Latina.

Cidade do México, Santiago, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Bogotá "completam o pódio das mais bem posicionadas para a atração de maiores investimentos".

O mesmo índice ressalta que São Paulo é a cidade que "reúne as melhores condições para a atração de investimentos na região, principalmente pela importância do tamanho de seu mercado, o clima amigável para o investidor e o panorama sólido que oferece".

Também, acrescenta, essas opções estão "respaldadas pelo tamanho de sua Bolsa de Valores e a profundidade relativa de seu mercado financeiro, assim como as boas expectativas de crescimento econômico urbano para 2010".

Depois de São Paulo, em ordem de importância, seguem a Cidade do México e Santiago do Chile, "capitais de duas das economias mais importantes do continente, que se destacam por sua força quanto ao tamanho do mercado e o reconhecimento global no caso da primeira, assim como o entorno nacional atrativo para o investimento e as boas condições de vida no caso da segunda", diz o estudo.

Depois vem o Rio de Janeiro (4) e Buenos Aires (5), "que se posicionam em relação a outras cidades da América Latina pela forte notoriedade em escala global e pela alta presença de multinacionais, respectivamente".

Um segundo grupo formado Bogotá (6), "que sobressai pelo forte redução em seus custos de transação para a criação e localização de empresas; Cidade do Panamá (7), pela importância de seu mercado financeiro, e Monterrey (8), por seu alto poder aquisitivo e sua cultura empresarial pujante".

Depois vem Lima (9) e Brasília (10), "a primeira pelas projeções de crescimento econômico em 2010" e a segunda "pelo alto poder de compra de seus habitantes".

O Inai levou em conta 48 cidades da América Latina, seus atributos e o desempenho, na ordem local e nacional, durante 2009, "das principais variáveis econômicas ao entorno para os negócios de interesse para um investidor que está buscando localizar sua operação em um novo mercado".

Entre os aspectos analisados figuraram também "o melhor clima de investimentos (a escala país) e uma série de variáveis na escala da cidade ou área metropolitana".

Enquanto essas primeiras dez cidades têm um clima de investimentos "amigável" e "atrativo", em outras cidades latino-americanas como as venezuelanas Caracas, Maracaibo e Valencia, este é "contrário", e em Manágua e Tegucigalpa é considerado "renuente".

Em cada uma das 48 cidades o Inai estudou, além do "clima de investimentos", a reputação global, o PIB, o número de habitantes, o potencial financeiro, a presença de empresas globais, o conforto urbano e o crescimento esperado para 2010, entre outros.

Para o Inai São Paulo alcançou 69,9 pontos; Cidade do México, 67,5; Santiago do Chile, 66,4; Rio de Janeiro, 56,6; Buenos Aires, 56,5; Bogotá, 51,5; Cidade do Panamá, 50,9; Monterrey, 50,7; Lima, 50,6, e Brasília, 50,3.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host