UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/05/2010 - 04h31

Grécia tem mais um dia de greve geral contra medidas econômicas

EFE

Atenas, 5 mai (EFE).- O espaço aéreo grego ficará fechado e o transporte por trens e barcos serão suspensos nesta quarta-feira pela greve geral de 24 horas em protesto pelas medidas de austeridade do Governo grego para salvar o país da falência.

Esta é a primeira greve geral realizada no país depois da apresentação no domingo passado de um pacote de poupança de cerca de 30 bilhões de euros em três anos, e a quarta greve geral do ano na Grécia.

Os funcionários públicos se opõem à redução de seus salários, a eliminação de dois pagamentos extraordinários anuais e o corte das pensões.

O projeto de lei do programa de austeridade será tramitado na quinta-feira no Parlamento e era a condição prévia para que a Grécia recebesse a ajuda de 110 bilhões de euros dos parceiros da zona euro e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A legislação prevê aumentos dos impostos sobre tabaco, álcool, produtos de luxo e gasolina, já efetivados desde terça-feira, assim como o aumento do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) a partir do dia 1º de julho de 21 para 23%.

Também permitirá o aumento no número de demissões mensais dos 2% atuais para 4% nas empresas do setor privado.

Da greve também participam jornalistas, advogados, funcionários bancários, trabalhadores industriais e médicos dos hospitais públicos, enquanto os professores protestarão pelo terceiro dia consecutivo.

O sindicato de empregados civis Adedy e a Confederação Geral de Trabalhadores (Gsee) qualificaram as medidas como "muito severas e socialmente injustas".

Os sindicatos convocaram comícios no centro de Atenas com a intenção de marchar rumo ao Parlamento, enquanto nas demais grandes cidades gregas são esperados protestos, o que levou as forças de segurança a desdobrar pessoal para controlar os distúrbios permanecendo em situação de alerta.

O transporte público funcionará apenas pela manhã, para facilitar os manifestantes a chegarem aos locais dos protestos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host