UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/05/2010 - 08h57

Parlamento espanhol aprova plano para cortar gasto público e economizar mais de € 15 bi

EFE

Madri, 27 mai (EFE).- O Parlamento da Espanha aprovou hoje por um só voto de diferença o decreto de lei com as medidas de corte do gasto público apresentado pelo Governo, que foi apoiado somente pelo grupo do governante socialista.

Ao todo, 169 deputados socialistas apoiaram o plano contra o voto de 168 parlamentares - a maior parte dos partidos, incluindo o principal da oposição, o conservador Partido Popular -, e 13 abstenções.

A abstenção dos nacionalistas moderados catalães de Convergência e União (CiU), de União do Povo Navarro e de Coalizão Canária, facilitou ao Executivo presidido por José Luis Rodríguez Zapatero levar adiante seu plano.

O Partido Popular (PP), que tem 153 deputados e reivindicou nos últimos meses ao Governo medidas para enfrentar a crise, votou contra ao plano para acelerar a redução do déficit por considerar que é uma medida "improvisada, insuficiente e injusta" que exigirá mais sacrifícios.

Para o líder do PP, Mariano Rajoy, o principal problema da economia espanhola é Zapatero, e o grupo popular "não vai contribuir com seu voto" para que "isso siga adiante", disse, embora não tenha reivindicado eleições antecipadas.

Os nacionalistas do CiU, que ao abster-se facilitaram que levasse adiante o decreto, concordaram com Rajoy em que "o problema" é Zapatero. Se as eleições não forem antecipadas, o próximo pleito será em 2012.

O decreto de lei aprovado hoje estabelece a aplicação de um pacote de medidas que inclui cortes salariais para os empregados públicos, congelamento de aposentadorias e cortes no investimento com o propósito de acelerar a redução do déficit e deixá-lo em 3% do PIB em 2013, como exige a União Europeia.

Com as medidas aprovadas, o Executivo pretende economizar 15,250 bilhões de euros entre 2010 e 2011.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host