UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/06/2010 - 15h12

Petrobras avança em bilionária oferta pública de ações

EFE

Rio de Janeiro, 10 jun (EFE).- A Petrobras anunciou hoje os novos passos para a bilionária oferta pública de ações que realizará nos próximos meses, depois de o Senado ter aprovado o plano de capitalização da companhia.

A estatal anunciou hoje, em comunicado, que contratou o Banco do Brasil para coordenar sua oferta pública de ações na Bolsa de Valores de São Paulo, onde seus papéis já são os mais negociados.

O plano de capitalização aprovado pelo Senado na madrugada de hoje autoriza a Petrobras a emitir novas ações por um valor equivalente a 5 bilhões de barris de petróleo a um preço ainda não definido.

O Estado assinará a oferta mediante a cessão a Petrobras do direito de explorar áreas não licitadas com reservas equivalentes a esses 5 bilhões de barris, enquanto os acionistas minoritários terão que fornecer novos recursos.

A direção da Petrobras calcula que a oferta permitirá captar entre US$ 15 bilhões e US$ 20 bilhões entre os minoritários que optarem por seu direito a assinar a oferta e entre os novos acionistas.

A capitalização permitirá a empresa a dar início a um ambicioso plano de negócios que prevê investimentos de entre US$ 200 bilhões e US$ 220 bilhões no período entre 2010 e 2014.

Os recursos serão investidos principalmente nas explorações na camada pré-sal.

A contratação do Banco do Brasil para coordenar a oferta de ações foi anunciada no mesmo comunicado em que a Petrobras se referiu à aprovação no Senado tanto do projeto de lei que prevê a capitalização da companhia quanto do que permite ao Estado ceder à empresa os direitos para explorar as áreas equivalente aos 5 bilhões de barris.

"O projeto de lei foi aprovado sem alterações em comparação com o texto aprovado na Câmara dos Deputados e, por isso, poderá ser encaminhado a sanção presidencial para ser transformado em lei", assegura a companhia, no comunicado.

De acordo com a nota, além de autorizar o Estado a ceder à empresa os direitos de explorar determinadas áreas do pré-sal até um volume máximo de 5 bilhões de barris, o projeto de lei também autoriza o Estado a "subscrever as ações do capital social da Petrobras".

O Senado também aprovou durante a madrugada o projeto de lei que modifica o regime de exploração no pré-sal, para garantir ao Estado uma maior participação nos lucros produzidos pelas jazidas.

"O regime aprovado garante a Petrobras o papel de operador único (em todas as áreas do pré-sal) e uma participação mínima de 30% (nos consórcios com concessões) que pode aumentar mediante sua participação nas diferentes licitações", informa o comunicado.

A companhia esclareceu que o projeto de lei que modifica o regime de exploração terá que ser submetido novamente a votação na Câmara dos Deputados, por ter sido modificado no Senado.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host