UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/06/2010 - 10h36

Lula e Alan García afinarão interconexão elétrica entre Brasil e Peru

EFE
Brasília, 15 jun (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberá amanhã o colega peruano, Alan García, para dar um novo passo em direção à interconexão elétrica entre os países, que apontará para reforçar a "segurança energética".

A reunião entre Lula e García será em Manaus, no coração da Amazônia brasileira, e terá em paralelo um encontro de empresários de ambos os países, que tentarão identificar novas oportunidades de negócios para ampliar uma troca comercial que, no primeiro quadrimestre deste ano, somou US$ 766 milhões.

O porta-voz da Presidência brasileira, Marcelo Baumbach, disse que o principal assunto na agenda "aberta" que discutirão os presidentes será um acordo para o abastecimento de energia elétrica ao Peru, que vai contar com a participação de empresas brasileiras no setor energético do país andino.

As negociações do acordo estão nas mãos dos técnicos dos dois países e "a expectativa" é que possa ser assinado amanhã mesmo, indicou o porta-voz, quem disse que tudo dependerá do avanço das discussões.

Segundo Baumbach, as negociações fazem parte "do processo de interconexão elétrica entre Brasil e Peru, que aponta a reforçar a segurança energética de ambos os países" e está emoldurado no acordo de "aliança estratégica" assinado em 2003.

"O acordo estabelecerá regras gerais para a participação do Brasil em projetos hidrelétricos em território peruano, incluirá a exportação dos excedentes ao Brasil e também contemplará as ações necessárias para garantir a sustentabilidade ambiental" dos projetos, explicou o porta-voz.

O maior projeto conjunto na área energética é o chamado "Gasoduto do Sul" do Peru, que deverá ser construído entre as regiões de Cuzco, Arequipa, Puno, Moquegua e Tacna para aproveitar os enormes reservas de gás do país andino, que estão calculadas em 15 trilhões de pés cúbicos.

Deste projeto, que gerou polêmicas em alguns setores sociais e políticos peruanos, participará a construtora brasileira Odebrecht.

Baumbach assinalou que outro assunto na agenda será um acordo que estabelecerá marcos de cooperação entre a Caixa Econômica Federal e o Banco da Nação do Peru, que apontará ao desenho de projetos conjuntos para financiar planos de habitação.

O porta-voz da Presidência brasileira destacou que a relação comercial entre Brasil e Peru registrou um forte aumento entre 2003 e 2008, período no qual a troca passou de US$ 724 milhões para US$ 3,3 bilhões.

Embora tenha registrado queda em 2009, como consequência da crise financeira internacional, este ano somou US$ 766 milhões só no primeiro quadrimestre, por isso que em dezembro deverá chegar com números similares ao do ano passado.

"Esse dado demonstra a rápida recuperação do comércio entre os países", assinalou Baumbach.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host