UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/06/2010 - 16h52

Prefeito de Canoas defende democracia participativa em gestão de cidades

EFE
Madri, 15 jun (EFE).- O prefeito da cidade de Canoas (RS), Jairo Jorge da Silva (PT), defendeu hoje a "democracia participativa" na gestão das Prefeituras, um modelo de política municipal que considera imprescindível para acabar com o "descrédito das autoridades".

Em entrevista à Agência Efe em Madri, onde participou do II Fórum de Autoridades Locais de Prefeitura que reúne administradores de cidades de mais de 30 países, Jairo refletiu sobre a importância de transferir a "Prefeitura para a rua" e impulsionar a participação cidadã.

"A autoridade hoje está muito sacralizada, muito distante do cidadão, por isso essa descrença na política e no Estado", disse.

O prefeito afirmou que o principal problema das cidades periféricas, como Canoas, situada apenas 20 quilômetros ao norte de Porto Alegre, é a falta de identidade, "o não ter raízes". Por isso seu escritório desenvolve um projeto de futuro "a partir da perspectiva das pessoas".

"Isso significa lhes proporcionar uma mudança em sua qualidade de vida, em áreas como a saúde, educação e segurança", esclareceu.

Para contribuir com essa mudança, Jairo retorna ao Brasil com vários acordos assinados com empresas e instituições espanholas.

Junto às autoridades da região de Múrcia (sudeste), o prefeito deu o primeiro passo para um projeto de economia solidária, que deve beneficiar duas mil pessoas com a construção de quatro centros de produção e capacitação em setores como a alimentação, o artesanato e a reciclagem.

O projeto nasce do convênio assinado em novembro entre os dois Governos e a Fundación La Salle Campus Universitario, incentivadora, junto à universidade de Canoas, da iniciativa cujo objetivo é gerar um tecido social para que as comunidades locais da área se organizem.

"Canoas é uma cidade com muitas carências que necessita desse tipo de ajuda do Estado, embora nós gostaríamos é de poder implementar o projeto em outros lugares e para isso estão aí as universidades que serão encarregadas de analisar sua funcionalidade", esclareceu.

A colaboração entre a região de Múrcia e Canoas se estenderá a outra iniciativa relacionada com a tecnologia aplicada ao setor agrícola, "sobretudo no terreno dos alimentos e das técnicas de irrigação".

Por último, o prefeito destacou o convênio assinado hoje com a cidade de Zaragoza para a criação em Canoas de uma Plataforma logística que integre todo tipo de atividades e que, mais do que ser "só um centro de distribuição", reúna todo tipo de empresas e atividades.

"A localização de Canoas, no epicentro do Mercosul, facilitará a criação desses espaços comuns", especificou.

Antes de retornar ao Brasil, Jorge visitou hoje o complexo penitenciário de Estremera, em Madri, com capacidade para 1,7 mil pessoas, cuja gestão e arquitetura servirá de referência para a construção de uma nova prisão no Rio Grande do Sul, que contará também com um centro de menores.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host