UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/07/2010 - 09h25

Comissário da UE considera injustificada interferência do Governo português

EFE
Bruxelas, 1 jul (EFE).- O comissário de Mercado Interno europeu, Michel Barnier, considerou hoje "injustificada" a chamada "ação de ouro" que o Estado luso mantém sobre a operadora Portugal Telecom e que utilizou para rejeitar a venda de 30% da brasileira Vivo à Telefónica.

"A posição da comissão é clara há bastante tempo", indicou em entrevista coletiva Barnier, ao ser questionado sobre os direitos especiais que mantém Portugal sobre a companhia lusa.

"É uma restrição que consideramos injustificada para o princípio da livre circulação de capitais, da qual sou responsável como comissário encarregado do Mercado Interno", comentou.

Lembrou que em 2005, a Comissão Europeia iniciou um procedimento de infração e o assunto chegou em 2008 ao Tribunal de Justiça da União Europeia, e está previsto que se pronuncie até 8 de julho.

"Por causa da proximidade da sentença da Corte (europeia), que esperamos para 8 de julho, a Comissão quer esperar o resultado desta sentença e, uma vez publicada, analisará as medidas que eventualmente poderiam ser adotadas", apontou.

O Executivo português usou seus direitos de veto para impedir a venda de 30% da Vivo à espanhola Telefónica por 7,150 bilhões de euros.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host