UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2010 - 17h29

Ampliação de auxílio a desempregados irá a votação definitiva nos EUA

EFE
Washington, 20 jul (EFE).- O Senado dos Estados Unidos desbloqueou hoje um projeto de lei que estende até novembro próximo os subsídios de desemprego para mais de 2,5 milhões de americanos, que venceram o mês passado.

Com 60 votos a favor e 40 contra, os democratas, que controlam ambas as câmaras do Congresso, conseguiram vencer as táticas dilatórias dos republicanos, que se opunham ao projeto de lei argumentando que a ampliação dos benefícios aumentaria o déficit.

Os democratas precisavam justamente de 60 votos para impedir que os republicanos continuassem bloqueando o voto definitivo da iniciativa, pleito que deverá acontecer nas próximas horas.

A medida, que autoriza uma extensão dos subsídios de desemprego para US$ 34 bilhões, tem que ser aprovada por ambas as câmaras do Congresso para se transformar em lei.

A Câmara de Representantes prevê submetê-la a votação amanhã e, uma vez aprovada no Congresso, o presidente Barack Obama poderá promulgar a lei antes do fim de semana.

Mais de 2,5 milhões de americanos que estão há mais de seis meses desempregados perderam a ajuda federal no dia 2 de junho e, diante da fraca recuperação econômica atual, os legisladores afrontaram fortes pressões em seus distritos para estender os subsídios.

No entanto, durante meses, democratas e republicanos debateram sobre como financiar os subsídios, se através de um maior endividamento federal, como colocavam os democratas, ou cortes fiscais, como exigia a oposição.

Segundo o Instituto de Política Econômica, a extensão de auxílios a desempregados contribuirá para a manutenção de 800 mil empregos no restante do ano e ajudará a estimular a economia, porque os desempregados gastam imediatamente a ajuda do Governo em vez de poupá-la.

No último mês de junho, a taxa nacional de desemprego nos EUA ficou em 9,5%.

A legislação estende um programa federal que oferece aos desempregados até 99 semanas de assistência econômica, e também beneficiará de forma retroativa aos que perderam os subsídios em junho passado por conta da inação do Congresso.

Caso a extensão seja aprovada, o Governo americano terá desembolsado mais de US$ 130 bilhões em subsídios de desemprego em 2010, um aumento de 50% em comparação com 2009, segundo o Escritório de Orçamento do Congresso dos EUA.

A iniciativa estende os subsídios até novembro próximo, e a Casa Branca não descarta a possibilidade de solicitar uma nova extensão.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host