UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/07/2010 - 13h36

Acionista da Portugal Telecom declara apoio a eventual investimento na Oi

Lisboa, 26 jul (EFE).- O presidente do Banco Espírito Santo (BES), Ricardo Salgado, disse hoje que a Portugal Telecom "deve investir no Brasil" e que sua empresa está disposta a apoiar esse investimento, que pode ser na Oi ou em outra operadora.

Além disso, o presidente do BES, empresa que é a principal acionista português da Portugal Telecom, defendeu hoje uma solução "rápida" para a venda da parte da operadora portuguesa na Vivo para a espanhola Telefónica.

"É muito ruim ir aos tribunais", disse Salgado.

O presidente do BES lembrou em declarações a jornalistas que "o Estado tem a chave da questão", em alusão ao uso do Governo português de sua ação de ouro na Portugal Telecom, que vetou a venda da parcela da operadora na Vivo para a Telefónica.

Salgado destacou o "grandíssimo potencial" que a Oi pode significar para a Portugal Telecom caso venda sua participação na Vivo, mas fez a ressalva de que a operadora portuguesa pode encontrar alternativas de investimento no Brasil.

O presidente do BES demonstrou confiança que, com a manutenção da presença da Portugal Telecom no Brasil, como quer o Governo português, este estará de acordo com a venda para a Telefónica dos 30% da Vivo atualmente nas mãos da operadora portuguesa.

O BES tem 7,99% de participação na Portugal Telecom, e espera, em matéria de reinvestimento no Brasil, que "uma das alternativas se materialize rapidamente".

A Portugal Telecom negou na semana passada ter alcançado algum tipo de acordo para investir na Oi que poderia dar espaço para a venda de sua parte na Vivo.

As negociações sobre a Vivo foram interrompidas em 16 de julho, quando a Portugal Telecom pediu, sem sucesso, a prorrogação da proposta de 7,15 bilhões de euros da Telefónica pela parte da empresa portuguesa na operadora brasileira, que venceu nesse dia sem superar o bloqueio à operação por parte do Governo português.

Três dias depois, a Telefónica divulgou sua intenção de iniciar a dissolução da Brasilcel, companhia por meio da qual a empresa espanhola e a Portugal Telecom controlam 60% da Vivo.

A oferta de 7,15 bilhões de euros foi a terceira e última da companhia espanhola para comprar a parte da Portugal Telecom na Vivo e foi anunciada em 29 de junho.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host