UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/08/2010 - 12h02

Setor privado nos EUA criou 42 mil empregos em julho

EFE
Nova York, 4 ago (EFE).- As empresas do setor privado nos Estados Unidos criaram 42 mil empregos em julho, o que representa um aumento das contratações pelo sexto mês consecutivo, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pela companhia Automatic Data Processing (ADP).

O aumento no mês passado foi maior do que o previsto pelos economistas, que esperavam a criação de 25 mil empregos.

Esta empresa, que divulga seus dados de emprego habitualmente dois dias antes da divulgação dos cálculos do Departamento de Trabalho, que inclui também o setor público, assinalou que o aumento nos últimos seis meses foi de uma média "modesta" de 37 mil vagas e acrescentou que não se percebem sinais do aceleramento da contratação.

A ADP revisou para cima seus cálculos de junho, um mês no qual se criaram 19 mil empregos ao invés dos 13 mil estimados anteriormente.

A companhia precisou que seus cálculos de julho não levam em conta os efeitos da contratação temporária - e das posteriores demissões - realizadas pelo Governo federal nos últimos meses para a elaboração do Censo de 2010, por isso advertiu que os dados oficiais que serão divulgados na sexta-feira podem ser menores que os seus.

O emprego no setor privado não-agrícola aumentou em 63 mil ocupações e no da produção de bens caiu 21 mil.

No caso das grandes empresas, com um quadro de mais de 500 funcionários, o nível de emprego não variou em julho com relação a junho, e no caso das empresas de tamanho médio, com entre 50 e 499 trabalhadores, se criaram 21 mil empregos.

Quanto aos pequenos negócios, àqueles que têm menos de 50 funcionários, se acrescentaram 21 mil empregos mês passado.

No setor da construção se perderam 17 mil empregos em julho, o que representa a menor queda desde novembro de 2007, embora se mantenha uma tendência de baixa na contratação por mais de três anos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host