UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/08/2010 - 06h05

Presidente filipino abre Governo para comentários dos internautas

EFE
Eric San Juan.

Manila, 19 ago (EFE).- O novo presidente filipino, Benigno Aquino, abriu seu Governo em um site oficial conectado às redes sociais no qual os internautas podem fazer propostas ou criticar as políticas governamentais.

"Vocês são meus chefes", diz em idioma tagalo uma das mensagens da página junto à foto do presidente. Aquino já utilizou o site em seu discurso de posse, no dia 30 de junho, para reiterar sua vontade de ser presidente de todos os filipinos.

Mais de 15 mil pessoas de 94 países visitaram a nova página em suas três primeiras horas de funcionamento para propor ideias, dar conselhos ou comentar as decisões de "Noynoy", um dos vários apelidos do herdeiro da influente dinastia política Aquino.

O Governo filipino pretende responder assim à demanda das cerca de dois milhões de pessoas que seguem as páginas criadas para apoiar o novo presidente na rede social Facebook e permite a utilização de outras ferramentas como Twitter, Friendster, Multiply e YouTube.

O objetivo "é reunir as propostas dos cidadãos, cuja qualidade é o verdadeiro valor desta página, junto à informação que fornece", explicou o porta-voz governamental Herminio Corona.

O Executivo filipino considera que esta iniciativa é "um compromisso da liderança nacional para reconstruir a confiança e entrar em uma nova era, uma nova cultura de Governo".

Aquino prometeu entrar no site diariamente e responder a algumas questões pelo Twitter para se manter próximo às pessoas. Segundo seus assessores, isso não é novo para o presidente, que durante sua campanha consultava o Facebook frequentemente para ver a opinião e as preocupações dos eleitores.

Seus simpatizantes transformaram as redes sociais em um potente trampolim para a captação do voto jovem nas eleições de maio, que ganhou com maioria arrasadora.

A chamada "Aquinomania" online disparou após sua vitória e surgiram várias páginas no Facebook nas quais os internautas "assessoraram" o presidente sobre como formar sua equipe de Governo, recomendaram medidas para acabar com a corrupção e até mesmo o repreenderam por questões pessoais, como por ser fumante.

Não é possível ter acesso às "propostas de mudança" que os filipinos fazem chegar a Aquino sobre as políticas a seguir, mas inclui um fórum sobre corrupção e transparência aberto ao debate no qual, segundo o Governo, "são bem-vindos os diferentes pontos de vista".

Passadas 24 horas, já eram centenas as mensagens recebidas no fórum, com a luta contra a corrupção como um dos assuntos mais discutidos. Muitos também pedem ao presidente para que não aumente os impostos e que dê fim aos abusos de caciques políticos locais.

"Senhor presidente, por que os emigrantes devem pagar uma taxa no aeroporto, além do imposto que já pagamos cada vez que deixamos o país?", pergunta de Doha, no Catar, Froilan, um dos quase dez milhões de filipinos que trabalham fora do arquipélago.

O site inclui uma seção para crianças, em que o "tito Noy" - apelido utilizado pela própria página - incentiva os mais jovens a enviar desenhos nas quais elogiem os "valores tradicionais filipinos".

As Filipinas são o país asiático com maior penetração das redes sociais, com 90% de aceitação entre os internautas, segundo um estudo elaborado em fevereiro pela empresa de consultoria comScore.
Hospedagem: UOL Host