UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/08/2010 - 20h17

Plano de estímulo faz economia dos EUA crescer até 4,5%

Washington, 24 ago (EFE).- O plano de estímulo lançado pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, logo que chegou à Casa Branca, criticado pelos republicanos, fez crescer a economia em 4,5%, segundo o Escritório de Orçamento do Congresso.

A agência publicou hoje sua avaliação sobre o impacto que teve o plano de estímulo. De acordo com números oficiais, o investimento público foi de US$ 787 bilhões, mas segundo sua própria estimativa, o custo foi superior a US$ 814 bilhões.

O relatório foi publicado no mesmo dia em que o líder da minoria republicana no Congresso, John Boehner, lançou duras críticas sobre a gestão econômica de Obama e pediu a demissão do secretário do Tesouro, Timothy Geithner.

Segundo o Escritório de Orçamento do Congresso, a injeção de dinheiro público permitiu estimular o crescimento econômico entre 1,7% e 4,5%.

Além disso, fez com que a taxa de desemprego diminuísse entre 0,7 e 1,8 pontos percentuais e que o número de pessoas empregadas crescesse entre 1,4 e 3,3 milhões.

O relatório revela que foi graças ao impacto do plano de estímulo que os Estados Unidos saíram da recessão, pois segundo o Departamento de Comércio, a economia cresceu 2,4% no segundo trimestre do ano, um número que pode ser revisado para menos na sexta-feira.
Hospedagem: UOL Host