UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/09/2010 - 20h42

Obama anuncia plano de US$ 50 bi para impulsionar mercado de trabalho

Washington, 6 set (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou hoje um amplo programa de investimento em estradas e ferrovias que mobilizará US$ 50 bilhões com o qual pretende estimular o crescimento econômico e o mercado de trabalho.

"Estou anunciando um novo plano para que os EUA tenham a melhor infraestrutura do mundo. Costumávamos ter a melhor infraestrutura do mundo e voltaremos a tê-la", disse Obama em discurso em Milwaukee (Wisconsin) por causa do Dia do Trabalho.

A medida inclui a construção de 241.401 quilômetros de estradas, 6.437 de ferrovias e cerca de 300 quilômetros de pistas de aterrissagem, e terá um custo inicial de US$ 50 bilhões e se prolongará pelos próximos seis anos.

O objetivo, reiterou, é "criar empregos a longo prazo" nos investimentos em obras públicas e ressaltou que não se trata de um plano de estímulo como o que lançou em fevereiro de 2009, dotado de US$ 787 bilhões, mas de "um plano imediato de criação de empregos".

O emprego é um dos assuntos que mais preocupa Obama, cujo partido do qual faz parte enfrentará as eleições legislativas de novembro com uma taxa de desemprego de 9,6% e cerca de 15 milhões de desempregados em todo o país.

Segundo explicou a Casa Branca, este plano se baseia nos investimentos que já foram feitos com a Lei de Recuperação e busca a criação de novos postos de trabalho para fortalecer a economia, melhorar a produtividade e assegurar o crescimento futuro.

Dessa forma, o Governo americano muda o foco e transforma o transporte e as infraestruturas em uma peça-chave para aumentar a concorrência, a inovação e o rendimento do investimento.

A proposta de Obama inclui o estabelecimento de um "Banco de Infraestruturas" que administre os investimentos públicos e que se ocupe das grandes obras regionais ou nacionais.

Esta instituição englobaria dinheiro público e também do setor privado. Além disso, uma das possibilidades colocadas para dispor de recursos efetivos seria utilizar fundos libertados pela supressão das ajudas à prospecção e produção de petróleo e gás.

"Necessitamos de investimentos a longo prazo em nossa infraestrutura nacional", enfatizou Obama que, perante milhares de trabalhadores e membros dos sindicatos, assegurou que todos merecem uma boa aposentadoria "mesmo não sendo rico".

Obama se dirigiu ao público para ressaltar: "foram homens como vocês os que criaram a classe média". "Homens e mulheres que fizeram do século XX o século dos Estados Unidos", e avaliou o trabalho dos sindicatos no último século.

"O movimento sindical foi que ajudou muito a conseguir as garantias que temos agora, 40 horas semanais, um salário mínimo, planos de aposentadoria", clamou.

O presidente advogou pelo investimento em indústrias de energias limpas porque sua intenção é "ver painéis solares, turbinas eólicas e carros elétricos do futuro sendo fabricados aqui", disse Obama.

"Não queremos ver coisas feitas em qualquer outro lugar, queremos que cresçam nossas exportações e que o mundo possa comprar produtos feitos nos Estados Unidos", enfatizou.

A proposta faz parte de uma série de iniciativas que o presidente apresentará na próxima quarta-feira em Cleveland para apoiar a recuperação econômica e assegurar um crescimento sustentável a longo prazo.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Governo, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu, entre abril e junho, a uma taxa anual do 1,6%, oito décimos a menos que o calculado inicialmente.

Obama iniciou em Milwaukee (Wisconsin) uma semana que será dedicada à economia. Na quarta-feira viajará para Cleveland (Ohio), onde é esperado que anuncie novos cortes de impostos e, na sexta-feira, concluirá com uma entrevista coletiva na Casa Branca.
Hospedagem: UOL Host