UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/09/2010 - 12h36

Deputados franceses aprovam ampliação da idade de aposentadoria

Paris, 15 set (EFE).- Os deputados franceses aprovaram hoje o polêmico projeto de lei de reforma da previdência que inclui a ampliação da idade de aposentadoria para 62 anos, importante projeto político do presidente francês, Nicolas Sarkozy.

O texto foi adotado por 329 votos a favor e 233 contra após um complicado debate parlamentar, que se estendeu durante toda a noite passada e que teve de ser interrompido pelo presidente da Assembleia Nacional, Bernard Accoyer, para evitar o atraso da votação.

O texto deverá agora ser debatido pelos senadores antes de sua adoção definitiva.

Com a aprovação da reforma da previdência na Assembleia Nacional, terminou uma longa noite parlamentar, na qual houve uma dura batalha parlamentar que refletiu as paixões despertadas na França pela ampliação da idade de aposentadoria.

Os deputados da oposição de esquerda pediram em bloco o direito a expressar sua opinião antes da votação, o que teria atrasado o sufrágio.

Mas o presidente da câmara o considerou uma manobra para atrasar a adoção do texto e decidiu rejeitar esse pedido, argumentando que o projeto já tinha sido suficientemente debatido.

Uma decisão amparada com gritos de "renúncia" e de "golpe de Estado" desde os bancos da esquerda, que acusaram Accoyer de receber ordens diretas do Palácio do Eliseu (sede da Presidência francesa).

Mas o presidente da câmara afirmou que o regulamento prevê que se expressem os deputados com opinião diferente à de seu grupo e não para repetir todos o mesmo discurso.

Finalmente, a decisão de Accoyer permitiu que o projeto fosse adotado no prazo previsto.

Além da oposição política, a reforma da previdência conta com forte contestação entre os sindicatos, que convocaram quatro dias de greve geral, além de prever outra para o dia 23.

Na última dessas jornadas, que ocorreu no último dia 7, os sindicatos disseram ter convocado 2,5 milhões de pessoas nas ruas, um número que o Governo reduz para pouco mais de 1 milhão.
Hospedagem: UOL Host