UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/08/2007 - 17h23

Bovespa fecha em baixa de 2,90% com crise do crédito

São Paulo - A Bolsa de Valores de São Paulo operou novamente atrelada ao noticiário do exterior, apesar dos vários resultados trimestrais divulgados hoje por empresas brasileiras de capital aberto. E as notícias que vieram de fora não foram boas. O resultado foi uma forte desvalorização das ações brasileiras. O Ibovespa, principal índice, cedeu 2,90% e fechou aos 50.912 pontos.

O temor dos investidores de que a crise no setor de crédito imobiliário norte-americano de alto risco contamine o apetite por consumo na maior economia do mundo foi reforçado hoje por um alerta da Wal-Mart. A maior varejista do globo reduziu sua projeção de lucro para o ano e disse que muitos de seus consumidores enfrentam pressão financeira.

Mais cedo, os mercados já tinham desempenho ruim por causa da notícia de que o fundo de investimentos Sentinel Management Group, também dos EUA, pediu à Comissão de Negociação Futura de Commodity autorização para suspender os resgates de recursos solicitados por seus clientes. O Sentinel fornece aconselhamento e serviços de investimentos a várias instituições e clientes corporativos. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, encerrou com perda de 1,57%.

Para o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, "o mercado financeiro opera na mais absoluta normalidade". Ele afirmou também que "o Banco Central continua monitorando os mercados mundiais". O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que não acredita que a atual turbulência externa vá afetar o ritmo da economia brasileira e, sobretudo, os investimentos. "É claro que temos que ficar atentos, mas no Brasil não há reflexo direto dessa turbulência."

Ações
A principal ação brasileira, Petrobras PN, não resistiu à queda generalizada da Bovespa e fechou em baixa de 0,94%, apesar do lucro líquido de R$ 6,8 bilhões no segundo trimestre, divulgado na noite de ontem, ter agradado os investidores.

As ações de Eletrobras despencaram 7,11%, expressando o desagrado dos investidores com o fato de a empresa ter saído de lucro para prejuízo de R$ 150,4 milhões no segundo trimestre.

Outro destaque de baixa foi Banco do Brasil ON, com -3,45%. A instituição divulgou hoje cedo lucro de R$ 1,068 bilhão no trimestre passado, queda de 30,9% sobre o resultado de igual período de 2006.

Eletropaulo PNB terminou o dia estável, apesar do alta de 69,4% no lucro trimestral da empresa, de R$ 340 milhões, divulgado hoje.

Apenas duas ações do Ibovespa, dentre as 59 que compõem a cesta do índice, fecharam em alta: Comgás PNA subiu 1,20% e Natura ON avançou 0,43%.

Equipe AE
Hospedagem: UOL Host