UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2008 - 14h52

Bolsas européias tiveram o pior trimestre desde 2002

Londres - As principais Bolsas européias não apresentaram uma direção única no último pregão do primeiro trimestre deste ano, visto como o pior trimestre desde 2002.

  • Pior trimestre também nas Bolsas da Ásia


  • O mercado europeu reagiu à divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro (15 países europeus que compartilham a moeda) em março, que mostrou alta anual de 3,5%, após elevação de 3,3% em fevereiro.

    A meta do Banco Central Europeu (BCE) para o ano de 2008 é uma elevação de 2% na inflação ao consumidor.

    No segmento corporativo, as ações do setor de telecomunicações caíram, após rebaixamento de recomendação do banco de investimento americano Morgan Stanley para a britânica Vodafone e previsões de maior pressão das autoridades reguladoras européias sobre as companhias do setor. Os papéis do setor de energia subiram.


    Inglaterra
    Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,16%, a 5.702 pontos. No mês de março, o principal índice do mercado britânico acumulou queda de 3,10%. No ano de 2008 até hoje, o índice acumula perdas de 11,69%.

    As ações da petrolífera Shell subiram 1,70%, depois de a empresa anunciar grandes contratos para investimentos na área de informática. Outras ações do setor de energia também subiram (BG +2,28%, BP +1,79%, Cairn Energy +1,14%).

    No setor de telecomunicações, as ações da Vodafone caíram 3,89%, após rebaixamento de recomendação pelo Morgan Stanley.

    As ações da seguradora Friends Provident subiram 2,91%, depois de a empresa rejeitar uma oferta de aquisição de 3,5 bilhões de libras (US$ 7 bilhões) do fundo americano de private equity (que compra participações em empresas) JC Flowers.

    No setor de mídia, as ações da ITV caíram 6,77%, após rebaixamento de recomendação pelo banco suíço UBS.

    As da British Airways, cuja recomendação foi rebaixada pelo Goldman Sachs, recuaram 2,4%. As da rede de supermercados Tesco caíram 2,88%, depois de a empresa anunciar a paralisação da expansão de sua rede de lojas Fresh & Easy nos EUA.

    As ações da Diageo, do setor de bebidas, caíram 1,74%, depois de a rival francesa Pernod Ricard ser declarada vencedora da disputa pela aquisição da sueca Vin & Spirit (fabricante da vodka Absolut), com uma oferta de 5,63 bilhões de euros.

    França
    O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta 0,24%, a 4.707 pontos. No mês de março, o CAC acumulou queda de 1,74%. No ano de 2008, o índice acumula baixa de 16,16%.

    A alta foi atribuída ao fato de o índice de atividade industrial dos gerentes de compras de Chicago, nos EUA, ter superado as previsões.

    Um operador disse que o volume de negócios deverá ser reduzido até o fim da semana em função da expectativa quanto à divulgação do relatório do mercado de trabalho nos EUA, que sai na sexta-feira.

    No setor de tecnologia, as ações da STMicroelectronics subiram 1,66%, em reação ao anúncio de uma joint venture entre a empresa e a americana Intel.

    As ações da Pernod Ricard caíram 4,30%, em reação ao anúncio da aquisição da Vin & Spirit, da Suécia. No setor financeiro, as ações do banco francês Société Générale caíram 3,28%.

    Alemanha
    Em Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em queda de 24,93 pontos (0,38%), em 6.534,97 pontos. Em março, o DAX acumulou uma queda de 3,16%. Desde o início de 2008, o índice acumula uma queda de 18,99%.

    Um operador disse que o índice recuperou parte das perdas hoje, depois da divulgação do índice dos gerentes de compras de Chicago, nos Estados Unidos.

    Para ele, a cautela deverá prevalecer até o fim da semana, quando saem os indicadores econômicos americanos mais importantes.

    As ações do Commerzbank caíram 1,64%, em meio a preocupações quanto a baixas contábeis do suíço UBS. As da Deutsche Telekom recuaram 1,59%.

    Itália
    A Bolsa de Milão fechou com o índice S&P-Mib em queda de 0,25%, a 31.616 pontos. No mês de março, o S&P-Mib acumulou uma queda de 5,87%. Em 2008, o índice acumula perdas de 18%.

    As ações da companhia aérea Alitalia subiram 19,40%, depois de o presidente da empresa Maurizio Prato dizer que a empresa vai esperar até amanhã por uma declaração dos sindicatos de seus funcionários sobre se aceitam ou não a aquisição da companhia pela Air France/KLM.

    As ações da Tiscali subiram 12,82%, em reação a informes e especulações de que companhias como Telecom Italia e Fastweb estariam fazendo ofertas por suas unidades no Reino Unido ou na própria Itália.

    No setor financeiro, as ações do Banco Popolare Verona-Novara caíram 9,03%.

    Espanha
    Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em queda de 1,29%, a 13.269 pontos. No mês de março, o Ibex acumulou uma alta de 0,75%. Porém, desde o começo do ano, o índice acumula queda de 12,6%.

    Analistas disseram que as ações do setor de energia sofreram quedas fortes com a redução das especulações sobre fusões e aquisições (Iberdrola -2,87%, Iberdrola Renovables -4,13%, Repsol -1,84%. As da Inditex, do setor têxtil, caíram 0,98%, em reação a seu informe de resultados.

    Portugal
    O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, fechou em baixa de 0,48%, a 10.496 pontos. No mês de março, o PSI-20 acumulou uma queda de 4,17%. No ano de 2008, o índice acumula baixa de 19,38%.

    As ações da operadora de telefonia Portugal Telecom (PT) caíram, acompanhando as baixas do setor de telecomunicações em toda a Europa.

    Outras blue chips portuguesas também caíram (Energias de Portugal -
    1,66%, Banco Comercial Português -0,48%, Sonaecom -1,15%).

    Entre os destaques positivos do pregão estavam S. Costa (+4,67%) e Galp Energia (+2,23%). As informações são da Dow Jones.

    Renato Martins
    Hospedagem: UOL Host