! Oferta de crédito deverá crescer 15% este ano, prevê assessor da Fecomercio-SP - 04/01/2008 - InfoMoney
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

04/01/2008 - 16h37

Oferta de crédito deverá crescer 15% este ano, prevê assessor da Fecomercio-SP

SÃO PAULO - A oferta de crédito deverá crescer cerca de 15% este ano, em termos nominais, se for mantido o cenário de 2007, aponta o assessor econômico da Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), Altamiro Carvalho.

De acordo com ele, é difícil prever um número exato, uma vez que qualquer mudança em uma das variáveis que influenciam o crédito pode prejudicar o incremento.

No entanto, Carvalho se mostra otimista: "Como as taxas de juros do Brasil são das mais atrativas do mundo, há bastante ingresso de dinheiro para favorecer o aumento da oferta de crédito".

Destaques

Segundo o assessor econômico da Fecomercio-SP, as linhas de crédito costumam seguir a mesma trajetória e obter crescimentos parecidos. Porém, o aumento da alíquota do IOF pode causar algum impacto sobre o segmento das pessoas físicas, as mais oneradas pela decisão do governo.

Ainda considerando o crédito ao consumidor, Carvalho destaca os setores imobiliário, cujo incremento no crédito deve ficar acima da média, de veículos, que vai permanecer em expansão, e o de crédito pessoal.

Para as empresas, o especialista afirma que é mais complicado fazer previsões, uma vez que o aumento do crédito depende do consumo interno. Apesar disso, ele cita a modalidade de capital de giro como possível destaque para 2008.

Vendas no varejo e inadimplência

Ainda de acordo com Altamiro Carvalho, as vendas do varejo devem crescer moderadamente este ano, em torno de 3%, sendo que os destaques ficarão com os segmentos de móveis e decorações e eletroeletrônicos, ligados à oferta de crédito imobiliário, e de concessionárias de veículos.

E mesmo com a ampliação da oferta de crédito, o assessor não acredita que a inadimplência deva crescer desenfreadamente este ano. "Como os prazos de pagamento estão bastante dilatados, o risco de não-pagamento é menor", esclarece.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host