! Pós-subprime: Citigroup projeta valorização de 15% para Wall Street em 2008 - 04/01/2008 - InfoMoney
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

04/01/2008 - 11h12

Pós-subprime: Citigroup projeta valorização de 15% para Wall Street em 2008

SÃO PAULO - Um vigoroso primeiro semestre acompanhado por um resto de ano turbulento. A conclusão sobre o desempenho acionário norte-americano em 2008 é do Citigroup, que projeta um S&P 500 a 1.675 pontos ao final do ano e de 15.100 pontos ao Dow Jones, principal índice de Wall Street. Um potencial de ganhos de 15% para ambos.

"Nossa meta é balizada em uma provável repetição da divergência semestral vigente em 2007", afirma o banco de investimentos. No ano passado, patamares recordes das bolsas mundiais, estimulado pela onda de fusões e aquisições, foi interrompido em agosto por conta do colapso com a crise do mercado de crédito imobiliário nos EUA.

Lucro

Na avaliação dos analistas, boa parcela das projeções para a evolução dos lucros das empresas norte-americanas está excessivamente otimista. No entanto, em seu modelo de análise, o Citigroup considera que no longo prazo o nível de projeção para crescimento dos lucros corporativos permanece em território positivo.

"Nós continuamos a interpretar que o foco em Large Caps é importante. Essas empresas devem manter sua liderança devido ao aumento da volatilidade, enfraquecimento na expansão do lucro e elevação na inadimplência", defende o banco.

Riscos

De acordo com a instituição norte-americana, historicamente, todo ápice de atividade de fusões e aquisições sustenta os mercados durante 12 meses. Dado que o pico recente do movimento global de consolidação foi alcançado entre maio e junho de 2007, as perdas amargadas em agosto do ano passado podem ressurgir.

De quebra, há uma série de fatores que tendem a exercer certa influência no mercado. "Por exemplo, as incertezas sobre as eleições presidenciais, deterioração nas condições de crédito e sinais de pressões inflacionárias", cita o Citi.

O maior banco de investimentos dos EUA afirma existir uma probabilidade de 40% para uma recessão doméstica. No ano passado, os índices S&P 500 e Dow Jones acumularam valorizações de 3,52% e de 6,43%, respectivamente.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host