! Preços ainda são obstáculo para aumentar consumo de alimentos orgânicos no Brasil - 04/01/2008 - InfoMoney
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

04/01/2008 - 09h45

Preços ainda são obstáculo para aumentar consumo de alimentos orgânicos no Brasil

SÃO PAULO - O principal obstáculo para o aumento do consumo de alimentos orgânicos no Brasil continua a ser os altos preços dos produtos, avalia o produtor rural Luciano Fernandes. "Como são produzidos em condições especiais, muitas vezes o valor final dos orgânicos é superior ao dos produtos tradicionais", explica.

Conforme divulgou a Agência Brasil, Fernandes esclareceu que, para produzir alimentos orgânicos, gasta-se bem mais mão-de-obra em relação ao produto convencional, além da perda com insetos que comem os produtos.

Custo-benefício compensa

Apesar do preço maior, o comerciante Verinaldo da Silva acredita que a relação custo-benefício no consumo de alimentos orgânicos costuma compensar, já que isto significa um investimento em saúde.

"As pessoas que têm consciência sobre alimentação e que entendem o consumo de orgânicos como investimento em saúde não reclamam do preço, porque sabem que você investe em uma alimentação boa e acaba não tendo prejuízo com remédio, por exemplo", destacou.

Novas regras

Desde o último dia 28, está em vigor o decreto que cria novas regras para a produção e comercialização de produtos orgânicos no Brasil. Entre as principais mudanças, está a criação do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica, que visa a assegurar a confiabilidade da certificação destes produtos.

A partir de agora, caberá ao Ministério da Agricultura, juntamente com as secretarias estaduais, fiscalizar entidades responsáveis pela certificação dos produtos. Cada entidade só poderá emitir selos de garantia de procedência depois de autorizada pelo sistema e pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).

A nova norma ainda permite a produção paralela, na mesma propriedade, de produtos orgânicos e não-orgânicos, desde que haja uma separação do processo produtivo. Além disso, não pode haver contato com materiais e substâncias de uso não-autorizado para a produção de orgânicos, como agrotóxicos.

Garantia dos produtos

De acordo com o coordenador de Agroecologia do Ministério da Agricultura, Rogério Dias, as novas regras vão garantir a qualidade dos produtos vendidos com o selo de orgânicos. "O consumidor vai poder ter a certeza do que ele está comprando".

Segundo Dias, o brasileiro ainda não conhece bem os produtos orgânicos. "O consumidor ainda tem uma percepção de que o produto orgânico é aquele sem veneno, sem agrotóxico, e isso é um conceito básico. As pessoas ainda não conseguem saber tudo o que está por trás de uma produção orgânica", explicou.

Novas instruções normativas serão editadas para complementar o decreto, sendo que a previsão do Ministério da Agricultura é que elas possam ser submetidas à consulta pública a partir de fevereiro.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host