UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2009 - 18h52

No início de julho, poupança e fundos mostram que atraem investidores

SÃO PAULO - Em meio a especulações sobre migrações, poupança e fundos de investimento têm registrado captações líquidas positivas.

Dados do Banco Central mostraram que, até o oitavo dia útil deste mês, a captação líquida (depósitos menos saques) da poupança foi de R$ 4,3 bilhões. No mesmo período de junho, a captação havia sido de R$ 1,79 bilhão.

"Os dados sobre a poupança estão timidamente começando a conferir o que já estávamos prevendo há algum tempo. Está havendo aumento da captação, devido não somente ao aumento nas aplicações, mas principalmente à redução nas retiradas", afirmou o professor da Fucape e FGV, Paulo César Coimbra.

A captação líquida do início de julho é quase o dobro da identificada em todo o mês de junho, de R$ 2,09 bilhões. "Vamos aguardar os dados de fechamento do mês, mas creio que esta tendência já está clara e não nos surpreende", completou.

Fundos

Em relação aos fundos de investimento, a captação líquida dos oito primeiros dias úteis foi de R$ 11,1 bilhões, segundo a Anbid (Associação Nacional dos Bancos de Investimento). Analisando somente os que competem com a poupança, como os Referenciados DI e Renda Fixa, o resultado também é positivo. No primeiro caso, a captação líquida nos oito dias úteis de julho foi de R$ 542,8 milhões, enquanto no segundo caso foi de R$ 737,34 milhões.

Sobre os fundos, Coimbra afirmou que os investidores de perfis mais conservadores tendem a resistir mais a mudanças nas suas aplicações do que os de perfil mais agressivo, como um investidor de derivativos.

Além deste aspecto comportamental, ele ainda disse que existe um outro relacionado à educação financeira, já que os investidores não leem corretamente as tabelas de rentabilidade, que sempre estão acompanhadas do alerta "rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura".

"Assim, por exemplo, um fundo de renda fixa com taxa de administração de 2% e com rentabilidade acumulada nos últimos 12 meses em torno de 10,5% pode ser percebido como uma boa alternativa, pois pode transmitir ao investidor pouco preparado a sensação de que se pode esperar rentabilidade semelhante nos próximos 12 meses", explicou, comparando com a rentabilidade da poupança, que é de 6% ao ano mais TR.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host