UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/08/2009 - 16h54

Com manutenção do poder de compra do brasileiro, setor de cosméticos cresce 18%

SÃO PAULO - A manutenção do poder de compra do trabalhador fez com que, apesar da crise financeira internacional, o setor de cosméticos apresentasse alta de 18%, entre janeiro e junho deste ano, segundo dados da Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosméticos). "Há um fator econômico-financeiro importante: a renda do trabalhador não foi comprometida, o que, de forma geral, lhe preservou o poder de compra e este é um setor que não depende de crédito e sim de renda", disse o presidente da Associação, João Carlos Basílio.

Faturamento

No primeiro semestre de 2009, o crescimento das vendas da indústria de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) foi estimado em 18% (sem descontar a inflação).

Este percentual foi obtido a partir de dados consolidados dos dois primeiros bimestres do ano e de estimativas de vendas para os meses de maio e junho, sendo que o resultado definitivo, ainda de acordo com Basílio, "pode ser ainda maior."

Já o faturamento previsto para todo o ano de 2009 é 11% maior do que o atingido em 2008, uma vez que, tradicionalmente, o segundo semestre traz aceleração no ritmo de vendas, explica o presidente da entidade.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host