UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

03/09/2009 - 17h16

PT volta a afirmar que defesa da CSS depende da mobilização da sociedade

SÃO PAULO - Em reunião do Conselho Político, realizada nesta quinta-feira (3), o governo voltou a afirmar que só defenderá a aprovação da CSS (Contribuição Social para a Saúde) se houver uma mobilização da sociedade, com a participação de governadores e prefeitos.

Do contrário, segundo o líder do PT no Senado, Aloízio Mercadante (SP), não haverá "ambiente político para que esse tema possa prosperar."

A líder do governo no Congresso, Ideli Salvati (PT-SC), concorda e reforça a necessidade de que a aprovação do tributo seja pautada pela sociedade e não pelo governo. "Se houver esse apelo forte, como o ministro Temporão (da Saúde) assegura que há, por parte dos prefeitos e governadores, se isto for pautado pela sociedade, acho que se cria condição de aprovar a CSS", disse, conforme publicado pela Agência Brasil.

Outras opiniões

Na semana passada, o deputado Cândido Vaccarezza já havia afirmado, em entrevista a InfoMoney, que a criação da CSS não teria o PT (Partido dos Trabalhadores) à frente das articulações na Câmara dos Deputados.

Na ocasião, Vaccarezza disse ainda que a criação do tributo é justa, mas não para o atual momento econômico. "Seria um tributo justo para outro momento. Ainda não saímos da crise e o Governo está com várias propostas de desonerações, então, não há razão para discutir a criação de um novo tributo."

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host