UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/09/2009 - 13h29

Cresce intenção do brasileiro de compra de bem durável, revela pesquisa

SÃO PAULO - A visão dos brasileiros com relação à situação financeira teve uma melhora significativa no mês de julho, frente a maio, o que pode ser medido pela intenção de compra de bens de maior valor agregado, de acordo com a empresa de pesquisa GfK.

Dados divulgados nesta quarta-feira (22) mostraram que o índice que mede se o momento atual é bom para a compra de móveis e eletrodomésticos passou de 115 em maio para 131 em julho, sendo que ele era de 104 em janeiro deste ano. Pela primeira vez desde o início da crise, o indicador apresenta valor maior do que o atingido no ano passado.

Com base nas respostas de 1 mil consumidores de 12 regiões metropolitanas brasileiras, são calculados os índices que têm como referência o valor 100: quanto mais acima deste valor está o indicador, mais positiva é a percepção do consumidor.

Outros países

A pesquisa também é feita em países da Europa (Alemanha, Espanha, França, Grã-Bretanha e Itália), bem como no Chile e Colômbia.

Na Europa, a avaliação sobre o momento atual ser adequado para a compra de móveis e eletrodomésticos frequentemente apresenta valores inferiores aos do Brasil. Mesmo estando em alta desde outubro de 2008, em julho seu resultado foi 77.

Futuro

Os dados ainda mostraram que, de maio para julho, a intenção da população brasileira em gastar mais com bens duráveis nos próximos 12 meses ficou em 67 em julho, ante 61 em maio, o que mostra que o índice voltou ao mesmo nível dos patamares mais elevados de 2008.

A pesquisa conclui que, em comparação com os demais países pesquisados, o Brasil está em um momento bastante positivo quando analisado o sentimento dos consumidores, já que eles possuem a perspectiva de maiores movimentações econômicas para os próximos meses.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host