UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/10/2009 - 14h26

Número de alunos de baixa renda em faculdades particulares cresce 84,5%

SÃO PAULO - Nos últimos quatro anos, o número de alunos em instituições de Ensino Superior privadas cresceu 27,4% e os segmentos de menor renda foram os responsáveis pelo incremento. Nesse período, o aumento foi de 84,5% apenas para os alunos com renda familiar de até três salários mínimos.

De acordo com a pesquisa Perfil Socioeconômico do Aluno de Ensino Superior Brasileiro, alunos com renda familiar de até dez salários mínimos representam 70% do total de alunos da rede privada, sendo que a maior parte (25,4%) tem ganhos mensais entre três e cinco salários.

O estudo foi realizado pela Hoper Consultoria e apresentado na última terça-feira (29), na 11ª edição do FNESP (Fórum Nacional de Ensino Superior Particular Brasileiro) em São Paulo.

Participação da baixa renda cresce

Considerando aqueles com ganhos mensais de três a cinco mínimos, o crescimento na participação entre 2004 e 2008 foi de 52,6%. O número de alunos entre aqueles com renda entre cinco e dez mínimos aumentou 26,3% no mesmo período.

Por outro lado, considerando os estudantes com maior renda, houve retração da participação. Entre aqueles com ganhos acima de 30 salários mínimos, houve queda de 9% no número de estudantes na rede privada de Ensino Superior.

A queda entre aqueles com renda entre dez e 20 mínimos caiu menos, 1,8%. Já entre aqueles com ganhos entre 20 e 30 mínimos, o número de alunos apresentou queda de 6,8% nos últimos quatro anos.

Mensalidades ainda são entrave, mas caíram

O aumento do número de estudantes de baixa renda no Ensino Superior privado poderia ser maior. De acordo com a Hoper, a mensalidade ainda é o maior obstáculo para o acesso ao ensino por esse segmento da população.

Isso porque o comprometimento da renda familiar com o Ensino Superior está em torno de 13%. Com isso, estudantes menos abonados ainda sentem dificuldades para estudar.

Segundo a consultoria, porém, o valor médio das mensalidades caiu muito nos últimos dez anos. Por conta disso, o aumento do número de estudantes de baixa renda nas instituições privadas já era esperado.

Além disso, a Hoper lembra que o ProUni também influenciou o incremento, principalmente dos alunos com renda de até três mínimos. Somente nesse segmento, houve um aumento de 84,5% entre 2004 e 2008 no número de alunos.

Quanto às quedas da participação de estudantes de maior renda, a consultoria explica que a taxa de natalidade nesse segmento da população vem diminuindo. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a retração será ainda maior nos próximos dez anos nas classes A e B.

Sobre o levantamento

O Perfil Socioeconômico do Aluno de Ensino Superior Brasileiro foi obtido por meio da análise do perfil de estudantes de 378 instituições particulares das cinco regiões do País.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host