UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/10/2009 - 08h45

Spinelli lista 10 ações em sua carteira recomendada para o mês de outubro

SÃO PAULO - A corretora Spinelli divulgou sua carteira recomendada para outubro, com dez ações que, segundo os analistas, revelam-se boas opções de investimento para o mês.

Para o período, ocorreram cinco mudanças em relação ao portfólio anterior. Saíram os papéis de Brookfield, Agra, Brasil Ecodiesel, Marfrig e Suzano, que deram espaço para as ações de Usiminas, Bradesco, JBS, BM&F Bovespa e Telesp.

Os analistas revelam que as alterações visam aumentar o foco na atividade interna brasileira, em detrimento do mercado de commodities.

Em setembro, o portfólio recomendado registrou valorização de 8,08%, pouco abaixo da performance do Ibovespa, que acumulou alta de 8,90%.

Confira a carteira:

Empresa Código Preço-alvo Upside* Peso
Bradesco BBDC4 R$ 36,00 2,6% 10%
Banco do Brasil BBAS3 Em revisão - 10%
Redecard RDCD3 R$ 33,50 24,5% 8%
Satipel SUZB5 R$ 13,20 18,4% 8%
JBS JBSS3 R$ 12,70 38,6% 10%
Petrobras PETR4 R$ 45,00 32,1% 15%
Vale VALE5 R$ 45,00 26,1% 15%
BM&F Bovespa BVMF3 R$ 13,20 2,4% 8%
Usiminas USIM3 R$ 50,30 13,2% 8%
Telesp TLPP4 Em revisão - 8%
*Potencial de valorização em 12 meses, com base no fechamento de 1 de outubro

Banco do Brasil A Spinelli destaca o bom resultado postado pela companhia no segundo trimestre deste ano, que segundo os analistas, "foi positivo em vários aspectos e melhor que o verificado nos bancos grandes brasileiros". A corretora exalta o crescimento da carteira de crédito do banco, baseado na segmento de pessoa física, que apresenta melhores margens e menor aceleração da indimplência.

Bradesco "Passado o período de forte aumento nas provisões contra inadimplência e estagnação na concessão de crédito, o Bradesco deve apresentar comportamento melhor no terceiro trimestre, aproveitando a recuperação da economia brasileira" afirma a corretora.

Vale A mineradora já apresenta forte recuperação nos volumes exportados para praças importantes, como a Europa e o Japão. "Considerando o uso corrente de capacidade praticamente total por parte das mineradoras australianas, atualmente a Vale é a companhia melhor posicionada para tirar proveito desta conjuntura, melhorando as perspectivas para seus resultados no terceiro trimestre".

Petrobras Os analistas destacam o bom resultado apresentado no segundo trimestre deste ano, que superou as expectativas do mercado. "O principal destaque do resultado pode ser atribuído aos efeitos da otimização do parque de refino nacional, cujo contínuo aprimoramento através do Programa de Maximização de Diesel tem possibilitado maior extração deste derivado como proporção da Carga Fresca Processada, com reflexos na melhora de margens e na sua balança comercial".

Redecard A companhia apresentou forte desempenho no segundo trimestre, e os analistas se mostram otimistas com as perspectivas mesmo com os entraves causados pela mudança regulatória no setor. "Supomos que o impacto é administrável e será compensado pelo crescimento das demais linhas de receita" afirmam.

JBS A corretora revela que, após o anúncio da aquisição da Pilgrim's Pride e da fusão com a Bertin, ela atualizou suas projeções de resultado e valuation para a JBS, encontrando considerável espaço para upside e aumento na geração de caixa, considerando o ganho de receitas e a captura de sinergias esperadas com as referidas transações.

BM&F Bovespa A retomada dos negócios na Bovespa no segundo trimestre, com a redução do nível de aversão ao risco nos mercados, a recuperação das bolsas e o aumento do interesse dos investidores estrangeiros pelo mercado brasileiro, têm favorecido as evoluções tecnológicas implementadas pela bolsa brasileira, como DMA (Acesso Direto ao Mercado). A Spinelli aponta a possibilidade de que a bolsa faça novas associações, e aposta na repercussão favorável destas sobre as ações da BM&F Bovespa.

Usiminas Com o elevado guidance estabelecido no início do ano, a empresa foi forçada a adotar uma estratégia agressiva de vendas, visto que a recuperação econômica não ocorre de maneira acelerada, o que pode se traduzir em um melhor resultado no próximo trimestre.

Satipel Como resultado de sua associação com a Duratex, formaram a maior empresa de painéis de madeira do hemisfério sul, além do segundo maior produtor de louças sanitárias do Brasil e líder na produção de metais sanitários no mercado doméstico. "Acreditamos que a melhor maneira de investir na nova empresa seja optar pela aquisição dos papéis da Satipel, já que a Duratex está com um pequeno prêmio sobre a relação de troca definida, dada a maior liquidez" afirmam os analistas.

Telesp A companhia mantém boa regularidade nos resultados e deverá se beneficiar do crescimento de serviços mais especializados de telefonia, que geram maiores receitas. "Apesar da imagem da companhia ter sofrido um pouco com os problemas enfrentados recentemente com o Speedy, lembramos que ela prima pela forte geração de caixa e baixa alavancagem" aponta a corretora.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host