UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/10/2009 - 18h08

Copa e Olimpíadas: mesmo com alta na procura, cursos de idiomas não encarecerão

SÃO PAULO - Com a realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 no Brasil, a quantidade de turistas estrangeiros no País deverá aumentar. Com isso, escutar pessoas falando em inglês, espanhol e outras línguas será normal, pelo menos nesses dois anos.

De olho nisso, e na necessidade dos profissionais capacitarem-se para atender a esses turistas, a procura por cursos de idiomas, especialmente o inglês, deverá aumentar nos próximos anos, principalmente pelas pessoas que trabalham com atendimento ao público.

Diversas escolas de línguas já esperam um aumento, mas apesar disso, afirmam que as mensalidades não devem aumentar devido à alta na demanda. "Não acho que os preços vão subir por conta disso, porque eles são regulados pelo mercado e a concorrência é alta no setor", afirma o diretor do centro de linguística aplicada do Yázigi, Marcos César Polisemi.

O diretor de educação do CNA, Marcelo Barros, possui a mesma opinião. Ele explica que cada franqueado decide a mensalidade que será cobrada, mas devido à forte concorrência, os valores não deverão subir.

Maior procura

A escolha do Brasil para sediar os dois eventos mundiais já tem gerado mais trabalho nas escolas. No caso do Yázigi, Polisemi afirma que espera-se um aumento de 30% na demanda para os cursos de inglês já no próximo ano. Ele afirma que a procura pelas aulas de espanhol também deverão aumentar, embora em menor escala. "Como o espanhol é mais próximo do português, as pessoas têm essa ideia de que podem se virar, mas no inglês elas não pensam assim", explica.

Barros, do CNA, afirma que a escola já está se preparando para o aumento de matrículas, principalmente por parte de profissionais de serviços e atendimento ao público. "Imaginamos aumento na procura pelos cursos desse pessoal, que vão desde vendedores de lojas, a recepcionistas e garçons", diz.

Já a rede Eurodata espera um aumento de 40% no número de matrículas no próximo ano, apenas por conta das Olimpíadas de 2016. Para todo o Brasil, a rede espera dobrar o número de unidades, que atualmente é de 180, até a Copa de 2014.

Novos cursos

Como a procura deverá ser maior entre os profissionais de atendimento ao público, escolas pretendem criar novos cursos voltados para esse público. "Nós vamos criar cursos para quem trabalha com atendimento ao público e com turismo, principalmente nas cidades-sede", diz Polisemi.

Porém, ele ressalta que as unidades de outras cidades também deverão ter os cursos. "Porto Seguro não vai ser cidade-sede, mas devido à proximidade com Salvador, que irá receber a Copa do Mundo, o número de turistas também deve aumentar", considera.

Já o diretor de educação do CNA explica que as unidades já possuem cursos voltados para viagens. "São cursos com a perspectiva do turista. Agora devemos desenvolver aulas para quem recebe os viajantes", diz.

Barros também afirma que, como as Olimpíadas serão realizadas no Rio de Janeiro, as unidades da cidade deverão adotar ações específicas, sendo que reuniões já estão sendo feitas para determinar quais serão essas medidas.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host