UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/10/2009 - 10h30

SLW realiza mudança em sua carteira recomendada para a última semana do mês

SÃO PAULO - A corretora SLW divulgou sua carteira recomendada para a última semana de outubro. Mesmo acreditando que a taxação do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) em investimentos estrangeiros na bolsa brasileira ainda traga impactos negativos ao volume financeiro no mercado doméstico, a instituição mantém seu viés positivo para o Ibovespa nos próximos meses.

Além dos impactos que ainda deverão ser vistos por conta da taxa de 2% cobrada pelo governo ao capital internacional investido no mercado de renda fixa e variável do País, os analistas da SLW também destacam a movimentada agenda de resultados corporativos da semana, tendo destaque o balanço trimestral da Vale, com previsão de divulgação para quarta-feira (28) após o fechamento dos negócios.

Aliado a tudo isso, a equipe de análise também aponta a importância dos eventos da pauta econômica internacional, "que será importante e terá força para definir os rumos das bolsas internacionais", acreditam os especialistas da corretora.

Na semana anterior, a carteira sugerida apresentou queda de 4,6%, desempenho pior que o do Ibovespa, que registrou desvalorização de 1,7% no período. Frente ao portfólio anterior, a SLW substituiu os papéis do Bradesco pelos ativos da Oi.

Confira as recomendações:

Empresa Código Preço Justo Upside*
Klabin KLBN4 Em revisão -
Oi TNLP4 R$ 42,33 23,1%
Light LIGT3 R$ 41,91 69,9%
Lojas Renner LREN3 R$ 33,25 8,5%
Usiminas USIM3 R$ 59,88 23,4%
*Potencial de valorização com base na cotação de fechamento do dia 26 de outubro

Klabin

Com a recuperação da economia impulsionando a produção industrial brasileira, os analistas da corretora destacam ainda a fraca valorização de seus papéis em relação aos seus concorrentes durante o ano, "o que sinaliza uma oportunidade de curto prazo para os investidores".

Oi

O bom resultado trimestral divulgado pela companhia, com destaque para o Ebitda (geração operacional de caixa) registrado nestes três meses, acabou se configurando num bom driver para as suas ações no curto prazo. Ademais, a companhia começa a captar os primeiros sinais de sinergia com a aquisição da Brasil Telecom.

Light

Com bons resultados operacionais e financeiros e sendo negociada com baixos múltiplos em relação aos seus pares no setor, os papéis da companhia tornam-se um investimento atrativo, também devido aos dividendos distribuídos. A possibilidade de mudança societária no curto prazo reforça a confiança do investidor para este ativo.

Lojas Renner

Os "melhores indicadores econômicos que saíram recentemente e que são fundamentais para o bom desempenho do setor varejista de vestuário" ajudam na percepção de um bom desempenho no quarto trimestre deste ano, principalmente por conta do Natal. Além disso, os papéis se encontram em atraso frente ao Ibovespa neste mês, "e esperamos que no curto prazo esta diferença se ajuste".

Usiminas

"Estamos recomendando na carteira desta semana o posicionamento nas ações ordinárias da Usiminas, que estão apresentando forte defasagem em relação às preferenciais e isto não se justifica, já que os fundamentos são os mesmos" apontam os analistas, que também apostam na recuperação do setor siderúrgico nacional.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host