UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/12/2009 - 10h44

Com quedas nos preços, gasto médio das famílias com bens essenciais sobe 10,7%

SÃO PAULO – A crise abalou a confiança do consumidor, mas as famílias brasileiras não deixaram de comprar bens essenciais, como cesta de alimentos, bebidas, produtos de higiene e limpeza.

E com a melhora do cenário no segundo semestre deste ano, o consumo desses itens aumentou ainda mais e cresceu 9,7% em volume no terceiro trimestre frente ao mesmo período do ano anterior.

Como consequência, o gasto médio das famílias com esses produtos também aumentou -  10,7%, no mesmo período.

De acordo com estudo realizado pela LatinPanel, foram as famílias de renda mais baixa – classes D e E – que puxaram tanto o aumento do consumo como também o crescimento do gasto médio.

Somente nesse segmento da população, o gasto médio cresceu 14,3% no terceiro trimestre, frente a 2008. Já nas classes A e B, o crescimento foi de 9% nos gastos, ao passo que na classe C, o aumento do gasto médio com bens não duráveis subiu 8,4%.

Um dos motivos que elevou o consumo e os gastos dos consumidores com bens não duráveis no terceiro trimestre foi a queda dos preços.

“No ano passado, o brasileiro diminuiu o ritmo das compras por conta da inflação”, explica a diretora comercial da LatinPanel, Christiane Pereira. “Agora, isso não ocorreu e, por consequência, os gastos dos domicílios cresceram”, afirma.

No acumulado, baixa renda gastou 18% mais

Entre janeiro a setembro, a baixa renda também puxou o aumento das despesas e gastou 18% mais com produtos essenciais no período.

As classes A, B e C, por sua vez, gastaram 13% mais com esses itens no acumulado do ano na comparação com o mesmo período do ano passado.

Segmentando a análise, o estudo constatou que os consumidores gastaram mais com as cestas de higiene e beleza.

Esses produtos registraram um aumento de 12% nos gastos entre janeiro e setembro.

Já com produtos de Limpeza, o consumidor aumentou em 8% os gastos, e com bebidas, em 5,6%.

Alimentos ficaram em último lugar no que se refere a gastos, pois os consumidores gastaram 3,6% a mais com esses itens entre janeiro e setembro deste ano, frente a 2008.

Por sua vez, no quesito consumo, a cesta de alimentos ficou em primeiro lugar, pois apresentou um aumento de 15%.

Limpeza ficou na segunda posição, com 12% de aumento no consumo, seguida de bebida (7,5%) e produtos de higiene (5,5%).

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host