UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/01/2010 - 08h00

Número de mulheres na Bolsa cresce nove vezes em sete anos

SÃO PAULO – Ao final de 2009, a BM&F Bovespa contabilizava 136.062 mulheres investidoras. De acordo com os dados, divulgados na última semana, o número é nove vezes maior do que o registrado em 2002, quando 15.030 mulheres tinham o CPF cadastrado em agentes de custódia. 

Apesar do crescimento, o número de mulheres investidoras ainda é bem inferior ao de homens. No fechamento do ano, eles representavam 75,37% dos investidores pessoa física na BM&F Bovespa, enquanto elas detinham 24,63% de participação.

Entre 2002 e 2009, o número de homens investidores sextuplicou, passando de 70.219 para 416.302. No geral, o número de investidores pessoa física passou cresceu 547,94%, passando de 85.249 para 552.364.

Evolução

A tabela abaixo mostra a participação de homens e mulheres na Bolsa, desde 2002 até o final de 2009:

Participação de homens e mulheres no total de investidores pessoa física
Ano Homens (%) Mulheres (%)
2002 82,37 17,63
2003 81,60 18,40
2004 80,77 19,23
2005 78,76 21,24
2006 78,18 21,82
2007 75,38 24,62
2008 76,63 23,37
2009  75,37 24,63

 

Mulheres de 26 a 35 anos participam mais

De acordo com dados da BM&F Bovespa, as mulheres com idade entre 26 e 35 anos são as que mais participam da Bolsa de Valores, somando 36.835 contas ou 27,07% do total de mulheres. Na sequência, aparecem aquelas com idade entre 36 e 45 anos (29.261 ou 21,50%) e aquelas entre 46 e 55 anos (27.011 ou 19,85%).

As mulheres com mais de 66 anos, apesar de representarem apenas 10,19% do total de contas femininas, são as responsáveis pelo maior valor aplicado. Segundo os números, dos R$ 102,76 bilhões aplicados por pessoas físicas, R$ 21,58 bilhões eram das aplicações das mulheres e, destes, R$ 8,95 bilhões ou 41,47% do total eram provenientes de contas de mulheres com mais de 66 anos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host