UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/01/2010 - 09h39

Crédito e IPI estimulam alta de 8,7% nas vendas do comércio em novembro

SÃO PAULO - O retorno das condições de crédito ao consumidor e as reduções de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) foram os principais fatores que fizeram as vendas do comércio varejista do País subir 8,7% em novembro do ano passado, frente ao mesmo mês de 2008.

Isso porque um dos principais responsáveis pela forte alta foi o segmento de móveis e eletrodomésticos, que apresentou um aumento de 13,9% no volume de vendas no período, perdendo apenas para o setor de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação que registrou a maior alta do comércio varejista no período, de 19,2%. 

A queda dos preços de alguns produtos da linha branca, por conta da redução do IPI, e o ânimo dos consumidores em adquirir os produtos fizeram do segmento de móveis e eletrodomésticos um dos principais destaques.

Os dados, divulgados nesta quinta-feira (14), fazem parte da "Pesquisa Mensal do Comércio", realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Segundo o levantamento, na comparação com novembro de 2008, a receita nominal obteve alta de 11% no mesmo período.

Sobre outubro, o volume de vendas cresceu 1,1% e a receita nominal também teve alta, de 1,3%. No acumulado dos últimos 12 meses, o volume de vendas aumentou 5,3% e a receita, 9,8%. No acumulado do ano, houve incremento de 5,5% no volume de vendas e de 9,8% na receita nominal. 

Desempenho por setor

Em novembro, frente ao mesmo mês de 2008, o volume de vendas cresceu em todas as dez atividades pesquisadas. Veja, abaixo, o desempenho das principais atividades em novembro:

 

Atividade Volume de Vendas Receita Nominal
Combustíveis e lubrificantes 3% 5,2%
Hiper e supermercados, prod. alimentícios e bebidas 8,2% 10,1%
Tecidos, vestuário e calçados 4,8% 11,1%
Móveis e eletrodomésticos 13,9% 11,7%
Artigos farmacêuticos, medicinais e perfumaria 12,3% 18,5%
Equip. e material para escritório e informática 19,2% 12,6%
Livros, jornais, revistas e papelaria 8,8% 14%
Outros artigos de uso pessoal e doméstico 7,2% 16,7%
Comércio Varejista 8,7% 11%

 

IPI também influenciou alta do comércio ampliado

O indicador do comércio varejista ampliado - que inclui os segmentos de Material de Construção e o de Veículos, Motos, Partes e Peças - registrou variação positiva de 16,4% no volume de vendas e 15,8% na receita nominal no décimo primeiro mês do ano passado, frente ao mesmo mês de 2008.

Mais uma vez, o IPI e o retorno das condições de crédito para os consumidores ajudaram nos resultados. Somente o segmento de veículos, motos, partes e peças registrou um aumento de 37,1% sobre novembro de 2008. Segundo o IBGE, nos últimos 12 meses, o segmento registrou acréscimos maiores que a média, e a redução do imposto concedida pelo Governo no final de 2008 foi fundamental para os bons números.

O IPI não ajudou tanto assim o segmento de material de construção. Apesar do aumento de 4,7% em novembro último, as vendas de materiais ainda não conseguiu se recuperar dos efeitos da crise financeira. 

Análise regional

Na análise regional, a pesquisa do IBGE mostra que todos os estados apresentaram variações positivas em novembro último, frente ao mesmo mês do ano anterior, com destaque para: Acre (16,3%), Rondônia (13,7%), Roraima (13,6%), Sergipe (12,9%) e Alagoas (11,6%).

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host