UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/01/2010 - 12h40

Analistas avaliam os possíveis rumos da reunião entre os acionistas da BrT

SÃO PAULO - No final da última semana, o mercado foi surpreendido com o comunicado da Oi (TNLP3, TNLP4) suspendendo a incorporação das ações da Brasil Telecom (BRTO4;BRTO3) em razão do aumento das provisões das dívidas judiciais, que podem saltar de R$ 1,3 bilhão para R$ 2,5 bilhões.

Em decorrência do adicional, a metodologia de relação de trocas de ações deverá ser alterada, pois a razão de substituição de ações anterior não considerava tal ajuste contábil. Atento ao fato, os analistas do Bradesco traçam os possíveis cenários que serão discutidos na próxima assembleia de acionistas.

Na hipótese mais provável, na visão do Bradesco, os acionistas da Telemar e Brasil Telecom assumirão o impacto das provisões e, consequentemente, redução de 11% sobre a relação de troca entre as ações preferenciais e ordinárias da Brasil Telecom.

Outra relação provável indica um impacto maior sobre os papéis da Brasil Telecom, ao incorporar a contabilização das provisões ante a migração, situação com pouca probabilidade de acontecer já que haveria discordância razoável na razão de troca de ações.

No final das contas, Telemar e Brasil Telecom terão que negociar arduamente com os acionistas minoritários para que o acordo de compra seja selado, sem se esquecer da razão de troca entre Brasil Telecom Participações e Brasil Telecom.

Impacto nos resultados

Mais focada no impacto contábil das provisões, a equipe do Citigroup não prevê grandes perturbações financeiras no curto prazo para a Brasil Telecom, uma vez que o montante não é acumulado, mas sim composto por diversas pequenas dívidas, abrindo espaço para o parcelamento das amortizações.

Na visão do banco norte-americano, o processo de integração entre as empresas de telecomunicações já está parcialmente completo e gerará muitos frutos à Oi, algo que deve ser ponderado na reunião de acionista.

Recomendação para as ações

Na visão do Bradesco, o impasse das negociações tem impacto negativo às ações e o mercado deve ajustar os preços para a nova relação de troca potencial no curto prazo. Contudo, os papéis da Oi devem se beneficiar na troca de ações, prevê o banco.

O Citigroup manteve os papéis preferenciais da Telemar com recomendação de compra e na lista Top Pick, por sua característica defensiva e atrativo dividend yield.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host