UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/01/2010 - 16h50

Paulistanos acham que cidade não incentiva consumo sustentável

SÃO PAULO - O incentivo ao consumo moderado e sustentável está entre os aspectos que mais causam insatisfação no paulistano, quando o assunto é qualidade de vida em relação ao consumo. Dos entrevistados na pesquisa do Movimento Nossa São Paulo, 58% afirmaram estar totalmente insatisfeitos com o incentivo dado pela cidade nesse quesito.

Quando questionados sobre a qualidade e quantidade de publicidade, 56% estão insatisfeitos e, sobre a possibilidade de consumir produtos reciclados e recarregáveis, a insatisfação é presente em 53% deles.

O único índice que aponta satisfação (46%) maior que a insatisfação (44%) é quanto à quantidade consumida em relação às necessidades.

Na escala de zero a dez, a satisfação média dos paulistanos quanto ao consumo na cidade atingiu 5,2.

Os maiores índices de insatisfação foram atingidos nos quesitos durabilidade material e cultural dos produtos (59%), respeito ao direito do consumidor (61%), oportunidades para consumir bens artísticos e culturais (60%) e informação disponível sobre o impacto ambiental dos produtos e empresas (60%).

Qualidade de vida

A pesquisa mostrou que 45% dos paulistanos não viram melhoria nem piora na qualidade de vida no último ano. Para 29%, a vida melhorou um pouco e para outros 13%, melhorou muito. A nota média da qualidade foi 4,8.

Além do consumo, o estudo feito por meio de 1.512 entrevistas realizadas pelo Ibope na capital paulista em dezembro de 2009 aborda outros itens que influenciam na qualidade de vida da população. Os índices de satisfação mais altos ficaram com as Relações Humanas da cidade (6,5), Religião e Espiritualidade (6,3) e Trabalho (6,2).

Os piores colocados foram a Assistência Social (3,9), Desigualdade Social (3,9) e Transparência e Participação Política (3,3).

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host