UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/01/2010 - 18h13

Brasileiros vão se endividar mais em 2010, diz economista

SÃO PAULO - Os brasileiros devem se endividar mais em 2010 do que em 2009. A opinião é da economista da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), Marianne Lorena.

"São diversos os fatores que nos fazem acreditar em um maior endividamento do brasileiro. No ano que passou, tivemos os impactos da crise e isso fez com que as pessoas segurassem seus impulsos de consumo. Como começamos este ano com a certeza de que esta crise ficou para trás, muitos vão querer comprar agora. Uma pesquisa realizada pela CNC comprova que a intenção de consumo dos brasileiros está maior esse ano", afirma.

Além disso, Marianne garante que a maior oferta de crédito no mercado contribuirá para que as pessoas adquiram novas dívidas. "No ano passado, o crédito estava difícil, caro, e a concessão estava trabalhosa. Esse ano teremos crédito mais fácil no mercado. E como os brasileiros possuem uma grande intenção em comprar bens duráveis, que são produtos que dependem mais do crédito, é fato que haverá mais financiamento", completa a economista.

Endividamento x inadimplência

Marianne esclarece ainda que, embora o brasileiro esteja endividado, isso não significa que ele ficará inadimplente. "O número de pessoas que dizem que não conseguirão pagar suas dívidas é relativamente pequeno. Das famílias brasileiras que terminaram janeiro endividadas, apenas 9% não conseguirão honrar suas dívidas".

E garante que esse cenário continuará a se estender ao longo do ano. "Os postos de trabalho estão retornando, a renda do brasileiro está maior e, de certo modo, com a crise, ele aprendeu a controlar melhor seus gastos. A não ser que vivamos uma situação que no momento não estamos esperando, acredito que a maioria dos consumidores vai conseguir pagar as dívidas que assumir".

Endividado?

Se você está endividado e não consegue pagar suas compras ou, se não está, não quer ficar, confira abaixo algumas dicas para não errar no orçamento:

  • Nunca faça dívidas em seu nome para outras pessoas. Por mais que a pessoa em questão seja de sua confiança, se ela tiver algum problema na hora de pagar, a cobrança virá para você. É o seu nome que está em jogo;
  • Não está conseguindo pagar? Não tenha vergonha de procurar ajuda. As associações de defesa do consumidor ou um advogado poderão ajudá-lo bastante nessas horas;
  • Corte gastos. Se você não está conseguindo honrar as dívidas que assumiu, deve ser porque está ganhando menos do que gasta. Faça uma lista de todos os seus gastos mensais e veja o que pode ser cortado ou diminuído. O dinheiro que você economizar use para pagar as dívidas que conseguir;
  • Não acredite em anúncios que prometem tirar seu nome do SCPC ou Serasa de forma rápida e fácil e sem pagar as dívidas. Isto não existe;
  • Se o seu nome foi parar no SCPC ou Serasa significa que, pelo menos por um tempo, você não poderá assumir outras dívidas, não terá crédito no mercado. Aproveite para fazer uma poupança e saldar as dívidas;
  • Por fim, tente renegociar suas dívidas. Há boas vantagens para devedores que tomam a iniciativa de procurar seus credores. Avalie os benefícios que lhe são oferecidos. E não tente fazer acordos com todos os credores de uma só vez. Viva dentro da sua realidade.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host