UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/02/2010 - 18h08

Morgan Stanley: Brasil se mantém como mercado favorito na América Latina

SÃO PAULO - Acalmando os temores após forte baixa na última semana - o Ibovespa recuou 4,04% entre 1 e 5 de fevereiro, pior desvalorização desde a última semana de outubro do ano passado - os analistas do Morgan Stanley afirmaram que a correção não muda a visão positiva para as ações da América Latina para 2010. Para eles, caso o índice brasileiro fique abaixo dos 58 mil pontos a recomendação é de "compra agressiva".

Em relatório enviado nesta segunda-feira (8), os analistas Guilherme Paiva e Cesar Medina reiteraram o target de 5 mil pontos para o índice MSCI Latin America, o que representa uma valorização de 38% frente aos patamares atuais. E mais: o Brasil  permanece como mercado favorito na região, com preferência para ações ligadas ao mercado doméstico frente às empresas de commodities.

Economia: política fiscal e monetária

Para Paiva e Medina, os investidores começaram a se preocupar de verdade com problemas fiscais e monetários. Do lado fiscal, a principal preocupação é com os Credit Default Swaps (CDS), tanto do setor público como privado, sobretudo em países europeus como Grécia, Portugal, Irlanda e Espanha.

Do lado monetário, a potencial retirada da liquidez nos mercados desenvolvidos é iminente, enquanto nos mercados emergentes o risco inflacionário voltou a aparecer, sobretudo na China e no Brasil.

Com isso, os analistas se perguntam: é a hora para se tornar pessimista com as ações da América Latina? "A resposta, por hora, é não, especialmente porque os fundamentos da região se mantêm sólidos", afirmam, completando que a correção atual abriu uma oportunidade de entrada nos mercados para os investidores.

Ações e valuation

Pelas estimativas atuais, as ações brasileiras operam com P/L (relação entre preço da ação e lucros estimados) de 11,7 vezes, e relação entre preço e valor contábil de 1,8 vezes.

Com relação à magnitude da correção, as vendas atuais ultrapassaram o visto em outras ocasiões, mas ainda estão longe do cenário mais pessimista, e os fundamentos econômicos latino-americanos e chineses se mantêm positivos. "Além disso, não acreditamos que chegaremos mais perto do cenário mais pessimista", completam os analistas em relatório publicado nesta segunda-feira (8).

Entre as ações que possuem rating acima da média do mercado mas estão performando abaixo, os analistas incluem Medial (MEDI3), Fibria (FIBR3), Santander (SANB11) e Estácio (ESTC3). Por outro lado, Romi (ROMI3) e BrasilAgro (AGRO3) possuem rating abaixo da média do mercado mas estão performando acima da média.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host