UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/02/2010 - 17h37

Socopa mantém inalterada carteira recomendada para segunda semana do mês

SÃO PAULO - A corretora Socopa divulgou sua carteira recomendada para a segunda semana de fevereiro e decidiu mantê-la inalterada em relação ao último portfólio semanal divulgado.

Para a corretora, a semana ainda deve ser marcada por incertezas a respeito da situação fiscal de Grécia, Portugal e Espanha, que contribuíram para o desempenho negativo das principais bolsas internacionais. A aversão ao risco levou investidores a retirarem capital do Brasil, e o Ibovespa retrocedeu 4,04% na última semana. A carteira de recomendações da Socopa teve desempenho semelhante, com desvalorização de 4,19%.

Além disso, os investidores observaram os dados do mercado de trabalho norte-americano. Nesta semana, o destaque da agenda fica com a confiança do consumidor norte-americano, divulgada pela Universidade de Michigan.

Confira as recomendações:

 

Empresa Código Preço teórico Upside* Peso ajustado
Vale VALE5 Em revisão - 11,2%
Cremer CREM3 R$ 17,00 14% 8,6%
CSN CSNA3 Em revisão - 8,8%
Copel CPLE6 Em revisão - 10%
Randon RAPT4 R$ 21,50 49% 7,9%
Lojas Americanas

LAME4 Em revisão

- 10,4%
TAM TAMM4 Em revisão - 9,6%
Dufry DUFB11 Em revisão - 8,6%
Petrobras PETR4 Em revisão - 7,0%
Duratex DTEX3 Em revisão - 7,9%
Bradesco BBDC4 Em revisão - 10,2%


*Potencial de valorização em 12 meses, com base no fechamento de 8 de fevereiro. 

Vale

Para os analistas, o cenário para o setor de mineração é positivo para os próximos anos, com preços spot do minério em patamares elevados no final de 2009, o que traz posição mais confortável na negociação com siderúrgicas chinesas.

Cremer

De acordo com a corretora, "o mercado altamente fragmentado através da comercialização de materiais com sua marca própria e a distribuição de produtos de terceiros em todo o território nacional", somado a fatores como o envelhecimento da população brasileira e o aumento dos gastos per capita com saúde, além de uma maior penetração dos planos de saúde, são elementos que impulsionam o crescimento destes papéis.

Bradesco

O Bradesco é o único representante do setor bancário no portfólio. Na visão da Socopa, o segmento ainda está atrasado em relação ao mercado, embora apresente fundamentos fortes. A expectativa é de que nos próximos meses o setor reverta as recentes provisões tomadas para enfrentar o aumento da inadimplência, trazendo impactos positivos aos resultados.

Randon

A corretora avalia a Randon como agente de longo prazo e mantém a recomendação de compra dos papéis, levando em consideração a expectativa de fortalecimento com a melhora das condições econômicas, principalmente a partir de 2010.

Copel

Além de ser negociada com desconto em relação a seus pares, a corretora afirma que a empresa tem boa exposição à curva de preços de energia mais altos. É uma boa oportunidade de entrada na papel, avalia a Socopa, já que o desconto deve ser corrigido progressivamente pelo mercado.

TAM

Líder do setor aéreo brasileiro, a companhia possui acordos de code-share com empresas estrangeiras, o que possibilita oferecer um grande número de destinos internacionais aos passageiros. Os analistas destacam também o pedido de registro na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) de registro de companhia aberta e de oferta de ações para a sua controladora, a Multiplus.  Dufry

Segundo a Socopa, a Dufry se destaca no mercado por vender produtos que vão desde artigos de luxo até o segmento de bebidas, a um preço muito competitivo quando comparado com o de lojas de varejo convencionais, "o que tem proporcionado um expressivo crescimento".

Petrobras

Os analistas da corretora acreditam na divulgação de novas descobertas no médio prazo. No quesito operacional, destacam o bom desempenho da produção, embora o marco regulatório do pré-sal e o cenário internacional devam continuar ditando o ritmo das ações da estatal.

Lojas Americanas

A Socopa destaca o posicionamento líder da empresa no comércio eletrônico, através de sua subsidiária, a B2W. A corretora também ressalta o agressivo guidance fornecido pela companhia, que prevê abertura de 400 lojas nos próximos 4 anos - um investimento de R$ 1 bilhão.

CSN

Por ser mais integrada, a siderúrgica é uma das menos afetadas pelos custos das matérias-primas, aponta a corretora. "A exposição da CSN ao business de minério de ferro deve sustentar o desempenho da receita e das margens da empresa neste ano", afirma a Socopa.

Duratex

Em primeiro lugar, a corretora aponta que os aumentos de preços implementados nos últimos meses de 2009 ainda não foram completamente repassados aos preços das ações. Sua estrutura também é apta para ter sucesso no processo de internacionalização e a união com a Satipel provê boas condições para aproveitar o momento da economia brasileira.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host