UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/02/2010 - 17h50

Quarta-feira de cinzas: hora de pensar onde investir em 2010

SÃO PAULO - Há quem diga que o ano só começa mesmo após o Carnaval. Como já estamos na Quarta-feira de Cinzas, está mais do que na hora de pensar sobre quais investimentos serão boas opções para 2010. Afinal, janeiro e fevereiro já mostraram grande volatilidade no mercado de capitais e há consenso no mercado de que a taxa básica de juro voltará a subir nos próximos meses, o que poderia garantir melhor rentabilidade aos fundos de renda fixa.

"Realmente, vivemos agora um cenário bem diferente de 2009. No ano passado, a economia nacional estava se recuperando e foi um ano em que investir na Bolsa e ter bons rendimentos foi relativamente fácil. Porém, esse ano, o mercado de capitais está apresentando grande volatilidade e está mais difícil na questão de previsibilidade", afirma o estrategista da Futura Investimentos, Adriano Moreno.

Que completa: "essa volatilidade não deve ser motivo para que o investidor tenha medo da Bolsa. Ao contrário, a volatilidade traz boas oportunidades de entrar no investimento em ações, porém, para que esse investimento seja favorável, é preciso ter uma boa liquidez, assim você não se prejudica quando a bolsa cai de forma mais significativa. Minha dica é: quem já está na Bolsa deve ficar, quem quer entrar deve comprar aos poucos e não alocar uma grande verba de uma única vez", aconselha.

Poupança x Fundos de renda fixa

Já para quem não quer correr riscos, Moreno afirma que o investimento em fundos de renda fixa pode ser uma boa opção. "Há um consenso no mercado de que o juro básico brasileiro vai crescer esse ano. Isso fará com que esses fundos voltem a apresentar melhor rentabilidade, possivelmente superando os lucros da poupança, mesmo com a tributação. Para o investidor conservador, essa é uma ótima opção, já que esses fundos possuem poucos riscos, já que parte deles está lastreada em títulos públicos".

Mas quem optar por essa modalidade de investimento precisa ficar atento as taxas de administração. "O que pesa são as taxas de administração. Taxas maiores que 2% farão com que os fundos RF sejam menos interessante que a poupança. Mas fundos com taxa de administração menor que 2% são, sem dúvida, boas opções".

Ainda para quem prefere investimentos mais conservadores, o estrategista dá outra dica: o CDB. "O CDB é uma alternativa parecida com os fundos de renda fixa, mas possui uma vantagem: não paga imposto semestralmente sobre a rentabilidade. Então, um CDB com 100% de taxa de retorno vai ser mais rentável que a poupança e o fundo de renda fixa".

Moreno conta ainda que há outras opções para os conservadores, mas que exigem um maior nível de conhecimento. "As debêntures são um bom exemplo. Hoje é possível investir em debêntures e obter um retorno bem maior que os fundos RF e a poupança. Porém, esse investimento exige mais sofisticação do investidor, já que é menos líquido e, portanto, não é indicado para quem está começando a investir", finaliza.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host