UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/02/2010 - 12h03

No ano passado, imóveis de até R$ 180 mil foram os preferidos dos paulistanos

SÃO PAULO - De acordo com pesquisa divulgada pelo Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) na última semana, os imóveis usados com valores de até R$ 180 mil foram os preferidos dos paulistanos no ano passado, com participação de 57,97% nas vendas.

Quando analisadas as regiões* de São Paulo, o maior percentual de vendas foi registrado na zona D, que engloba bairros como Água Rasa, Americanópolis e Aricanduva, que apresentou 26,61% de representatividade no ano passado.

Em seguida, está a zona C, que engloba bairros como Aeroporto, Água Branca e Bosque da Saúde, com 22,57% do total. Atrás, vêm as zonas B, E e A, com 18,26%, 17,80% e 14,77%, respectivamente.

Valores 

Dentro da faixa de preço até R$ 180 mil, os imóveis que ficam na faixa entre R$ 161 mil e R$ 180 mil foram os mais mais procurados, com 9,60% de participação, seguidos das propriedades de R$ 141 mil a R$ 160 mil, que representaram 9,16% da preferência dos paulistanos.

Imóveis de outra faixa de preço também ficaram na lista de preferência dos paulistanos, conforme tabela a seguir:

Valor do imóvel (R$) Percentual
até 40 mil 2,64%
de 41 a 60 mil 3,70%
de 61 a 80 mil 6,78%
de 81 a 100 mil 8,63%
de 101 a 120 mil 8,90%
de 121 a 140 mil 8,55%
de 141 a 160 mil 9,16%
de 161 a 180 mil 9,60%
de 181 a 200 mil 6,34%
acima de 200 mil 35,68%



Fonte: Creci-SP


Preços dobram



De acordo com o levantamento do Creci-SP, o preço de imóveis usados chegou a dobrar no ano passado na capital paulista. N

o caso mais extremo, das casas de padrão mais simples (standard), com tempo de construção entre oito e 15 anos e localizadas em bairros da Zona E (Brasilândia, Campo Limpo e Cangaíba), o preço subiu 109,26%, passando de uma média de R$ 521,30 o metro quadrado em fevereiro do ano passado para R$ 1.090,90 o metro quadrado em dezembro.

 

 

No caso dos apartamentos, o maior aumento foi nos de padrão médio, com tempo de construção variando entre oito e 15 anos e localizados em bairros da Zona C (Butantã, Cambuci e Chácara Santo Antônio). O preço passou de R$ 1,5 mil o metro quadrado em fevereiro para R$ 2.744,05 o metro quadrado em novembro, um salto de 82,9%.

   

Zona A: bairros como Alto da Boa Vista, Alto de Pinheiros, Campo Belo

Zona B: bairros como Aclimação, Alto da Lapa, Brooklin

Zona C: bairros como Aeroporto, Água Branca, Bosque da Saúde

Zona D: bairros como Água Rasa, Americanópolis, Aricanduva

Zona E: bairros como Brasilândia, Campo Limpo, Grajaú

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host