UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 12h15

Economia norte-americana cresce 5,9% em nova prévia do quarto trimestre de 2009

SÃO PAULO – A recém-divulgada segunda prévia do PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA apontou a maior expansão trimestral no país dos últimos seis anos, atingindo uma elevação da ordem de 5,9% no último trimestre de 2009.

O resultado veio acima do apontado pela primeira prévia para o período e também das expectativas do mercado, ambas de 5,7%. No entanto, na comparação anual, o ano de 2009 ainda apresenta a maior contração desde 1946, de 2,4%.

No relatório divulgado nesta sexta-feira (26), o bom desempenho veio em decorrência de um fortalecimento nos investimentos em negócios, que cresceram 6,2% no período em bases anuais, e da grande contribuição vinda dos inventários, que adicionaram 3,88 pontos percentuais ao indicador – desempenho acima da prévia anterior.

Além disso, outro destaque positivo nesta segunda previsão ficou para os investimentos destinados a software e equipamentos, com a maior expansão registrada em quase uma década. As compras destes dois itens elevaram-se 18,2% entre outubro e dezembro de 2009, maior aumento desde 2000, compensando as perdas de 13,9% no setor de construção comercial.

Consumo e construção: lado negativo

Os manufaturados devem continuar puxando a recuperação econômica no país, porém, em meio a um ainda fraco consumo – que representa 70% da economia do país – devido ao elevado índice de desemprego norte-americano (9,8%). No período, a elevação dos gastos dos consumidores veio abaixo das projeções do mercado de 2%, ficando em modestos 1,7% e adicionando 1,23 p.p. ao PIB.

Vale lembrar, no entanto, que as compras no terceiro trimestre foram maiores devido ao incentivo governamental para a compra de veículos, facilitando a troca de automóveis e caminhões usados por outros mais novos e com consumo mais eficiente de combustíveis.

Outros dados negativos foram postados nas compras de imóveis, com contração de 0,6% em 2009 – pior resultado desde 1974. Além disso, os dados divulgados nesta sessão mostraram que as construções residenciais caíram 5% no quarto trimestre, após uma forte expansão de 18,9% reportada nos três meses imediatamente anteriores.

Deflator

Já o deflator do PIB, que mede basicamente o custo de uma cesta de bens na economia norte-americana, registrou um avanço de 0,4%, contrariando as projeções de alta de 0,6%. O resultado ficou abaixo do anterior, que havia justamente sido de uma elevação de 0,6%.

Próximas prévias

O resultado do PIB dos EUA terá sua terceira prévia divulgada em março, com a incorporação de mais informações que serão disponibilizadas ao governo, tais como lucros corporativos. No total, são realizados quatro cálculos para o desempenho da atividade econômica do país.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host