UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 11h28

Instalação obrigatória de GPS em fretados de SP deve encarecer serviço

SÃO PAULO – Com a obrigatoriedade de instalar equipamentos de localização nos veículos, empresários do setor de fretamento de São Paulo afirmam que os custos do transporte devem aumentar, encarecendo o serviço para os usuários de fretados da cidade.

“Esses equipamentos especiais, que se comunicam aos radares da CET (Companhia de Engenharia e Tráfego), custarão em média entre R$ 2.500 e R$ 3 mil”, argumentou, por meio de nota, o diretor executivo do Transfretur (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento e para Turismo de São Paulo), Jorge Miguel dos Santos.

A Secretaria Municipal de Transportes determinou, em portaria publicada neste mês, que os fretados que circulam na cidade devem instalar o GPS. A obrigatoriedade já constava entre as medidas anunciadas no ano passado. As empresas têm 60 dias, a contar da data de publicação da portaria, em 11 de fevereiro, para instalar os equipamentos.

“A instalação do GPS com certeza encarecerá o serviço aos contratantes”, disse Santos. “A Prefeitura está gerando mais custos desnecessários na operação desse tipo de transporte”.

Pesquisa de preços

Para o presidente do sindicato, uma vez que a portaria está publicada resta às empresas pesquisar as tecnologias e preços dos equipamentos para não encarecer ainda mais o serviço para os usuários. “Não cumprir a lei é imprudente”, disse.

A multa para quem não instalar o equipamento é de R$ 2.500. Além disso, as empresas correm o risco de perder o Termo de Autorização, que permite a circulação dentro da Zona Máxima de Restrição, e o Certificado de Vínculo ao Serviço.

“O problema maior é o prazo insuficiente para que todas as empresas consigam conhecer, pesquisar preço e instalar o equipamento”, avaliou Santos. Na cidade, 400 veículos estão autorizados a circular dentro da Zona Máxima de Restrição, imposta pela Prefeitura desde agosto do ano passado e que limita a circulação desses veículos em um perímetro de 72 quilômetros quadrados em torno do centro expandido da capital.

A justificativa da Prefeitura para a obrigatoriedade é o acompanhamento, em tempo real, do posicionamento dos veículos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host